Dengue

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 19 (4668 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Introdução
A dengue é hoje uma das doenças com maior incidência no Brasil, atingindo a população de todos os estados, independentemente da classe social. Nesse cenário, torna-se imperioso que um conjunto de ações para a prevenção da doença seja intensificado, permitindo assim a identificação precoce dos casos de dengue, a tomada de decisões e a implementação de medidas de maneira oportuna, afim de principalmente evitar óbitos. Preservar a vida humana é obrigação de todos.
A capacitação de profissionais de saúde no atendimento ao paciente com dengue é um dos principais componentes do Programa Nacional de Controle da Dengue (PNCD) do Ministério da Saúde. Para atender a essa necessidade de treinamento, a Secretaria de Vigilância em Saúde elaborou um material, que visa orientar osprofissionais de enfermagem, para uma identificação precoce e uma assistência adequada ao paciente com dengue.
A classificação da dengue, segundo a Organização Mundial da Saúde, na maioria das vezes é retrospectiva e depende de critérios clínicos e laboratoriais que nem sempre estão disponíveis precocemente, porém a ação sistemática e efetiva do atendimento de enfermagem permite auxiliar noreconhecimento precoce de formas potencialmente graves, que necessitam de tratamento imediato.
A proposta deste manual é, portanto, abordar aspectos da assistência de enfermagem, desenvolvendo um atendimento integral, que possa colaborar para o restabelecimento da saúde individual e coletiva.

Epidemiologia

O primeiro relato, porém não confirmado, da dengue no Brasil data de 1923 em Niterói (RJ) e oprimeiro surto epidêmico documentado ocorreu em Boa Vista (RR). A dengue possui somente um ciclo epidemiológico (urbano) que tem como principais elos o homem (hospedeiro) e o mosquito Aedes aegypti (vetor). De um modo geral, as arboviroses predominam nos trópicos, porquanto aí existem condições climáticas mais favoráveis para a propagação contínua dos arbovírus.
A fêmea do mosquito, suscetível,infecta-se com o vírus da dengue quando se alimenta de um indivıduo infectante (no período de viremia). Apos o período de incubação extrínseca, que vai desde a ingestão do sangue infectado até o momento em que é capaz de transmitir o vírus pela sua replicação nas glândulas salivares, o mosquito permanece infectante até a sua morte, sem nada sofrer ou apresentar lesões mínimas. Este período podevariar de 7 a 10 dias. Quando um mosquito infectante injeta vírus da dengue no hospedeiro suscetível durante o repasto sanguíneo, apos um período de incubação que varia, em média, de 4 a 6 dias (mínimo de 3 e máximo de 10 dias), a dengue pode evoluir para forma assintomática, forma clássica com febre, mialgias e artralgias, e para forma grave, conhecida como “dengue hemorrágica”, que cursa comdistúrbios da coagulação e choque, podendo levar à morte. A duração dos sintomas varia usualmente de 3 a 7 dias e o período infeccioso (viremia) dura apenas alguns dias, variando de 3 a 7 dias. Posteriormente, o indivíduo desenvolve imunidade específica de longa duração. Aceita-se a existência de 4 sorotipos distintos de dengue (sorotipos 1, 2, 3 e 4). Como apresentam baixa imunidade cruzada, ocorremas chamadas “infecções secundárias” após a primeira infecção por um determinado sorotipo. Mostrou-se que indivíduos infectados com um sorotipo de dengue eram suscetíveis à infecção por outro sorotipo seis meses após a primeira exposição. Entretanto, não há evidência de que possa ocorrer uma reinfecção pelo mesmo sorotipo (induzindo a uma imunidade perene). É aceito que a infecção primária por umdos vírus da dengue ocasionaria apenas o quadro clássico da virose. Porém, ao ocorrer uma reinfecção por outro tipo antigênico de vírus dengue, em um intervalo de tempo inferior a 5 anos, seria então desencadeado o quadro hemorrágico da dengue. É admitido que todos os 4 sorotipos de dengue podem provocar quadros hemorrágicos. Porém, estudos clínicos e virológicos evidenciaram uma maior correlação...
tracking img