Demografia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1395 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de março de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto
 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS-UNIMONTES
CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICAVÉIS - CCSA
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS - DCE
DISCIPLINA: DEMOGRAFIA






ANÁLISE DA TAXA DE MORTALIDADE INFANTIL E TAXA ESPECIFICA DE FECUNDIDADE , EM JOAQUIMFELÍCIO-MG, BUENÓPOLIS-MG E AGOA DOS PATOS-MG, NOS ANOS DE 2000 E 2010.








INTRODUÇÃO

Uma das taxas mais importantes no que se refere à mortalidade é a Taxa de Mortalidade Infantil (TMI).
Ela corresponde ao risco que um nascido vivo tem de vir a falecer antes de completar um ano de idade. A Taxa Específica de Fecundidade (TEF refere-se ao quociente, em um determinado ano, entre onúmero de nascimentos vivos de mães em uma determinada idade ou grupo etário e o número de mulheres nesta mesma idade ou grupo etário).
O trabalho tem por finalidade analisar as mudanças ocorridas na população, nos anos 2000 e 2010, focando o estudo na Taxa de Mortalidade Infantil (TMI) e na Taxa Específica de Fecundidade (TEF), comparando os dados entre os municípios de Joaquim Felício, Buenópolise Lagoa dos Patos.
Será utilizada uma revisão bibliográfica sobre medidas demográficas. A fonte para a pesquisa documental será o Sistema Público de Informação em Saúde (DATASUS). Para uma melhor analise buscando compreender faixas etárias especifica como de 0-4, de 15-64 e mais de 65 anos.












A TAXA DE MORTALIDADE INFANTIL
A taxa de mortalidade infantil é obtida pormeio do número de crianças de um determinado local (cidade, região, país, continente) que morrem antes de completar 1 ano, a cada mil nascidas vivas. Esse dado é um aspecto de fundamental importância para se avaliar a qualidade de vida, pois, por meio dele é possível obter informações sobre a eficácia dos serviços públicos, tais como: saneamento básico, sistema de saúde, disponibilidade de remédiose vacinas, acompanhamento médico, educação maternidade, alimentação adequada, entre outros.
Esse é um problema social que ocorre em escala global, no entanto, as regiões pobres são as mais atingidas pela mortalidade infantil. Entre os principais motivos estão: a falta de assistência e de orientação às grávidas, a deficiência na assistência hospitalar aos recém-nascidos, a ausência desaneamento básico (desencadeando a contaminação de alimentos e de água, como também, outras doenças) e desnutrição.
No Brasil, assim como na maioria dos outros países, essa taxa está reduzindo a cada ano. Conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a mortalidade infantil no Brasil segue em declínio. Em uma década (1998 – 2010) passou de 33,5 crianças mortas por mil nascidasvivas, para 22.
O método utilizado para calcular a TMI, é o seguinte:

TMI = ( Ob ÷ NV ) x 1000;


Em que Ob: total de óbitos em crianças com menos de 1 ano de idade, durante o período em análise; e NV: total de nados-vivos no período em análise.




TAXA ESPECÍFICA DE FECUNDIDADE (TEF)
A taxa especifica de fecundidade é número médio de filhos nascidos vivos, tidos por umamulher, por faixa etária específica do período reprodutivo, na população residente em determinado espaço geográfico, no ano considerado.
A taxa pode ser apresentada por grupo de mil mulheres em cada faixa etária. Mede a intensidade de fecundidade a que as mulheres estão sujeitas em cada grupo Etário do período reprodutivo (15 a 49 anos de idade).
A TEF é utilizada para:
Analisar perfis deconcentração da fecundidade por faixa etária.
Detectar variações das taxas nos grupos de maior risco reprodutivo, representados pelas faixas etárias extremas.
Calcular medidas sintéticas de fecundidade (taxa de fecundidade total, taxa bruta de reprodução e taxa líquida de reprodução).
Possibilitar o estudo dinâmico da fecundidade, mediante análise longitudinal.
Formular hipóteses de projeções...
tracking img