Democracia racial

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (313 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
1. A que fenômeno social o autor se refere?
Segundo Gilberto Freyre, o que existe no Brasil é uma democracia racial, ou seja, relações de harmonia, com relativa igualdade entrebrancos, negros, índios e mestiços. Uma sociedade tolerante e não-racista, que buscou sua identidade na miscigenação de homens brancos com índias e negras, a partir da metade do século XVI,pois quase não havia mulheres brancas no Brasil nesta época. Essa miscigenação fez cair barreiras raciais. Fez o preconceito racial ser insignificante. Criou uma raça distinta e de valor, amestiça.


2. Explique, a partir do texto de Emília Viotti, como operam os mitos sociais.
A democracia é um mito, ou seja uma ideologia que encobre uma sociedade racista eque age de forma sutil. Uma sociedade que abomina o racismo, mas hipocritamente é condescendente com o preconceito, o desprezo, a desvalorização dos negros, índios e mestiços.Parece que ficou enraizada no inconsciente do homem branco, a relação de senhor e escravo, de modo que a resistência em se igualar à raça “inferior” ainda é grande. É uma questão social,política, econômica e cultural, que ainda exigirá muitas lutas de várias gerações para ser apagada da memória histórica do brasileiro branco.


3. Aponte, segundo a autora, asconsequências do mito da democracia racial.
Uma mãe diz não ser racista de forma alguma, que todos são iguais para ela. No entanto se a filha quer se casar com um homem negro, ela é contra aunião.
Pode-se dizer que se a vida das pessoas de raças de cor no Brasil foi, e ainda é, mais difícil. Longe de ser racismo, é uma questão de cristalização da relação da Casa Grandee Senzala, que ainda teima em existir, e depende mais das pessoas de raças de cor do que dos brancos, destruir essa barreira sócio-econômica e cultural, que pertence ao passado.
tracking img