Delirium no idoso

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1031 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
DELIRIUM

I – DEFINIÇÃO

Síndrome cerebral orgânica sem etiologia específica.
Pode constituir-se como a única ou principal forma de apresentação de doença física potencialmente grave, e os pacientes podem cursar com pior prognóstico tanto na vigência da internação como após a alta hospitalar.

II – PREVALÊNCIA

▪ Prevalência de 1,0% em idosos na comunidade.
▪ Prevalênciade 40% em idosos admitidos em unidades de emergência.
▪ Prevalência de 2 – 60% em idosos durante o pós-operatório
▪ Estima-se que 36 – 67% dos casos não são feitos o diagnóstico correto de delirium.

III – QUADRO CLÍNICO

▪ Início agudo, com sintomas precoces predominando no período noturno. Porém no idoso o início pode ser insidioso, precedido de alguns dias pormanifestações prodrômicas como diminuição da concentração, irritabilidade, insônia, pesadelos ou alucinação transitória.Caracterizam-se por apresentar distúrbios da cognição, atenção e consciência, ciclo sono-vigília e comportamento psicomotor.
▪ Distúrbio de atenção: característica fundamental, não se consegue manter o fluxo de diálogo com o paciente
▪ Característica marcante é a flutuaçãodos sintomas.
▪ Disfunção global da cognição é uma manifestação essencial: o prejuízo do pensamento encontra-se invariavelmente presente, tornando-se vago e fragmentado, lento ou acelerado. A memória está comprometida, diretamente associada ao prejuízo da atenção e nível de consciência.
▪ Consciência: pode estar reduzido ou aumentado o estado de alerta
▪ Comportamentopsicomotor: estado de hiperatividade ou hipoatividade
▪ A forma hiperativa é mais fácil de ser reconhecida, sendo usualmente associada à intoxicação ou abstinência de medicamentos ou álcool. A forma hipoativa tem seu reconhecimento mais difícil e é mais comumente associada a distúrbios metabólicos ou processos infecciosos.
▪ Anormalidades da senso-percepção manifestam-se mais comumenteatravés de ilusões e alucinações visuais (presentes em 40 – 75% dos casos)
▪ Orientação encontra-se frequentemente comprometida na sua forma têmporo-espacial
▪ Distúrbios de linguagem encontra-se disnomias e disgrafias.
▪ Sintomas como raiva, medo, ansiedade, euforia e manifestações autonômicas (rubor facial, taquicardia, sudorese e hipotensão arterial) podem estar associados aodelirium, usualmente na sua forma hiperativa.

IV – FISIOPATOLOGIA

▪ Disfunção de neurotransmissores:
o ↓ relativa de acetilcolina (um dos mecanismo mais importantes)
o ↑ dopamina
o ↑ ou ↓ da serotonina
o ↑ ou ↓ Ácido gama-aminobutírico (GABA)
o Outros: ↑ cortisol / Linfocinas (IL1, IL2, Interferon-alfa)
▪ Função dosneurotransmissores
o ACETILCOLINA → consciência / memória / comportamento
o DOPAMINA → Modula o papel do córtex frontal em manter e mudar a atenção
o SEROTONINA → função estabilizadora no processo de informação / Modulação do ciclo sono e vigília
o GABA → principal neurotransmissor inibitório do SNC
o HISTAMINA → regulação hipotalâmica do ciclosono-vigília.
V – ETIOLOGIA

▪ Entre as causas clínicas de delirium no idoso destacam-se os processos infecciosos e medicamentosa.
▪ A automedicação, apesar de menos comum do que em outras faixas etárias, pode ser potencialmente perigosa nos idosos.


|MEDICAMENTOS |DISTÚRBIO METABÓLICO|
| | |
|Álcool e hipnótico-sedativos (intoxicação ou abstinência) | |
|Anticonvulsivantes |...
tracking img