Custo do preso no brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1704 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CUSTO BRASIL NO JUDICIÁRIO
Façam um estudo sobre o custo do preso no Brasil, analisando todos os setores da economia que são afetados com essa situação.

A questão dos presos no Brasil é sempre tratada de modo um tanto quanto sócio-romântica. Normalmente, o preso aparece na mídia como espécie de vítima da sociedade, que depois purga ‘injustamente’ nas más condições do sistema carcerário nacional.Acresça-se a isto, também, um sistema legal frouxo que transforma crime hediondo em algo cheio de benefícios legais, além de acrescer aos criminosos uma série de benefícios que criam contínuas oportunidades para reincidirem com seus atos indevidos contra cidadãos inocentes.
Há que se reconhecer: são péssimas as condições das instalações, de modo geral, de nosso sistema penitenciário. O que, poroutro lado, por parte daqueles que são vítimas do banditismo, parece ser a “real pena”, ou seja, não é a lei que produz a punição, mas a incompetência do Estado, na utilização do dinheiro público. Isto afirmado por conta de dados que chegam a assustar, relacionados ao custo que tem um presidiário ao Estado, em comparação com outros setores da sociedade. Quanto às condições dos presídios serempéssimas, também seria interessante observar o atendimento da saúde, como ele é efetuados para os cidadãos de bem que não vivem dando prejuízo à sociedade. Quem sabe uma olhadela na educação, ou ainda na vida de um aposentado que trabalhou a vida toda e tem que viver com um salário mínimo. Ou seja, o sistema presidiário não é um ‘prêmio’ exclusivo dos presos, é apenas uma ‘porcaria’ no meio de tantasoutras. Mas uma ‘porcaria’ cara aos cofres dos contribuintes que se mantêm trabalhando para oferecer o dinheiro mal gasto com o sistema prisional.
A situação pode ser pensada além. Imaginemos aquele cidadão que trabalhou a vida inteira e recebe da previdência em torno de R$500,00. Neste caso, o bandido tem custo três vezes superior, segundo o primeiro dado informado, ou então, em dez vezes em tornoda segunda informação. Ou seja, um criminoso vale pelos por três homens honestos, e pode valer até por dez. E então já não se pode dizer que é uma mera percepção de que o homem honesto vale menos que o bandido.
Estes parecem frias estatísticas, enquanto que os bandidos são caso dos ‘direitos humanos’. Não se quer aqui criticar os direitos humanos, mas se questionar por que tanto cuidado apenaspara o algoz, e nenhum para as vítimas.
FONTE: http://www.administradores.com.br/informe-se/artigos/custo-encarcerado-x-custo-aluno/30836/
O presidente da Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas, Emanuel Messias Oliveira Cacho, acrescenta que o Direito Penal sempre foi tido como uma forma de controle social, mas inadequado, pois apenas subtrai o cidadão do convívio social normal, parasubmetê-lo à legislação do Estado. “E por essa razão é o mesmo Estado que deve arcar com os custos”, afirmou Cacho. 
Nos Estados Unidos, segundo o criminalista, esse número é bem maior. Hoje, os EUA é o segundo maior encarcerador do mundo perdendo apenas para a Rússia, têm uma legislação penal muitíssimo severa, e a população de presos vem crescendo em proporção geométrica: se, em 1985, 1 em cada 320americanos estava atrás das grades, em 1995 estava preso 1 em cada 167. A Califórnia e a Flórida gastam mais em prisões do que em ensino superior. Seis Estados têm orçamento superior a US$ 1 bilhão para o sistema penitenciário. Aliás, entre 1976 e 1989, os Estados praticamente dobraram seus gastos com presos e prisões, reduzindo em 2% os investimentos no ensino elementar e secundário, e em 6%aqueles no ensino superior.
FONTE: http://www.sintese.org.br/index.php?/Nacional/preso-custa-r-1581-e-aluno-r-173-por-mes-ao-estado

O custo de um preso em São Paulo é estimado em R$ 1.300,00 por mês. Os dados são do próprio governo estadual. Itapetininga possui 2.841 internos distribuídos nas duas penitenciárias, no Centro de Ressocialização Feminino e na Fundação Casa. Então para atender os...
tracking img