Cursando enfermagem

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3348 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
#46+)15

EPIDEMIOLOGIA DA INSÔNIA
José Carlos Souza # Rubens Reimão
RESUMO. Os autores fizeram uma ampla revisão da literatura científica mundial sobre a epidemiologia da insônia, o mais prevalente dos distúrbios do sono. Foi feito um levantamento bibliográfico, no período de janeiro de 2002 a novembro de 2003, das publicações dos últimos 30 anos, nos bancos de dados MEDLINE e LILACS, sobre adefinição e prevalência da insônia, além de suas conseqüências socioeconômicas. As palavras-chaves pesquisadas foram: distúrbio de iniciar o sono, distúrbio de manutenção do sono, distúrbio do despertar precoce, insônia, distúrbios do sono, prevalência da insônia, conseqüências da insônia. Observou-se uma grande variação dos critérios de definição da insônia, dos desenhos metodológicos e dosresultados dos estudos epidemiológicos, o que prejudicou as comparações dos dados das várias pesquisas. As futuras linhas de pesquisa sobre a epidemiologia da insônia devem se embasar em um consenso sobre sua definição e critérios metodológicos mais bem-definidos.
Palavras-chave: sono, insônia, epidemiologia.
*

EPIDEMIOLOGY OF THE INSOMNIA
ABSTRACT. A vast literature review on the insomniaepidemiology, the most common sleep disorder, using MEDLINE and LILACS last 30 years of data, was performed from January 2002 to November 2003. The key-words were: sleep initiation disorders, sleep maintenance disorders, early awakening disorder, insomnia, sleep disorders, insomnia prevalence, insomnia consequences. Several insomnia definition criteria and epidemiology researches methods, with datacomparison difficulties, were noticed. In the future it will be necessary similar insomnia definition and epidemiology studies criteria.
Key words: sleep, insomnia, epidemiology.

INTRODUÇÃO

Com o objetivo de ampliar os conhecimentos sobre a epidemiologia da insônia, os autores fizeram uma ampla revisão da literatura científica mundial sobre este problema, que é o mais prevalente dos distúrbiosdo sono. Há uma grande relevância para a prática clínica diária estes conhecimentos sobre a insônia, pois ela afeta a qualidade de vida geral de seus portadores. Foi feito um levantamento bibliográfico, no período de janeiro de 2002 a novembro de 2003, das
*

publicações dos últimos 30 anos, nos bancos de dados MEDLINE e LILACS, sobre a definição e a prevalência da insônia, além de suasconseqüências socioeconômicas. As palavras-chaves pesquisadas foram: distúrbio de iniciar o sono, distúrbio de manutenção do sono, distúrbio do despertar precoce, insônia, distúrbios do sono, prevalência da insônia, conseqüências da insônia. Os distúrbios do sono estão entre os distúrbios clínicos com maior impacto de saúde e socioeconômico (Vela-Bueno, De Iceta & Fernandez, 1999). São tão comuns como aasma e o diabete;

Psiquiatra, Mestre em Psicologia, Doutor em Saúde Mental pela UNICAMP, Professor do Mestrado e da Graduação em Psicologia da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), Campo Grande, MS, Pós-Doutorando da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa. Prof. Livre-docente, Neurologista do Hospital de Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e do Centrode Distúrbios do Sono® (CDS).

#

Psicologia em Estudo, Maringá, v. 9, n. 1, p. 3-7, 2004

4

Souza & Reimão

porém, poucos são diagnosticados e tratados adequadamente. Como exemplo pode-se citar que somente 5% dos pacientes com insônia consultam os cuidados primários de saúde e 69% nunca mencionaram aos médicos suas dificuldades de dormir (McCall, 1999). Vgontzas e Kales (1999)referiram que os distúrbios do sono são muito prevalentes na população geral e que a insônia é o mais comum, e, quando crônica, geralmente reflete distúrbios psicológicos e comportamentais. Smirne, Franceschi, Zamproni, Crippa e FeriniStrambi (1983) estudaram a prevalência dos distúrbios do sono em uma população hospitalar, em Milão, Itália, por um ano, com uma amostra de 1.347 mulheres e 1.171...
tracking img