Curcumina e seus efeitos antioxidantes na fitoterapia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3552 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade Federal de Santa Maria





José Eduardo MINUSSI Winck
Leonardo Cocco Garlet
JÚLIO CÉSAR GATTO
BRUNO BALCONI
LUCAS CASTANON
LUÍS FERNANDO FORGIARINI











Curcumina e seus efeitos antioxidantes na fitoterapia





















Santa Maria, RS
2011






José Eduardo Minussi Winck
Leonardo Cocco Garlet
Júlio César GattoBruno Balconi
Lucas Castanon
Luís Fernando Forgiarini






Curcumina e seus efeitos antioxidantes na fitoterapia




Revisão bibliográfica apresentada como requisito parcial da avaliação da disciplina de bioquímica agrícola, do curso de graduação em Engenharia Agronômica, Universidade Federal de Santa Maria.


















SantaMaria, RS
2011
1. INTRODUÇÃO –




O presente trabalho tem como principal objetivo descrever as causas e conseqüências do estresse oxidativo a nível celular bem como as influencias do extrato de Curcuma longa no tratamento de doenças, dando ênfase ao câncer.
Segundo Droge (2002) citado por Vancini et al. (2005) o estresse oxidativo é causado pelo desbalanço entre a produção deespécies reativas de oxigênio (EROs) e nitrogênio (ERNs) e a remoção pelos sistemas de defesa antioxidante. O estresse oxidativo é uma condição celular ou fisiológica de elevada concentração de EROs/ERNs que causa danos moleculares às estruturas celulares, com conseqüente alteração funcional e prejuízo das funções vitais (DROGE, 2002 apud VANCINI et al.,2005).
Estudos recentes destacam arelação entre a formação de espécies reativas de oxigênio (EROs) e o desenvolvimento de várias doenças (ROVER et al.,2001 apud CASTANHO et al., 2007). As EROs geradas pela mitocôndria e por outras fontes celulares são consideradas produtos tóxicos do metabolismo com o potencial de causar o estresse oxidativo. Evidências sugerem que as EROs desempenham papel fundamental na regulação e na sinalizaçãocelular e que o estresse oxidativo está implicado em uma série de doenças (THANNICKAL; FANBURG, 2000 apud CASTANHO et al., 2007). Sabe-se que dois fatores de transcrição são regulados por meio do estado redox (estado de redução-oxidação) intracelular: o fator nuclear NF-kB e o ativador de proteína AP-1. Esses fatores de transcrição regulados pelo estado redox da célula ligam-se à região promotora devários genes diretamente envolvidos em doenças como o câncer (SEM;PACKER, 1996 apud CASTANHO et al., 2007). O estresse oxidativo, com a produção de peróxido de hidrogênio e radical hidroxila, leva à ativação do NF-kB que migra para o núcleo e provoca a ativação de genes associados à proliferação celular, a angiogênese, a metástases e a supressão da apoptose, o que possibilita controlar aprogressão do ciclo celular e, possivelmente, a diferenciação celular. O NF-kB ativado promove a oncogenese e a resistência à terapia anticâncer (JUNIOR, J. F., 2004 apud CASTANHO et al., 2007).
Segundo Bharat Aggarwal (2003) citado por Júnior (2011), a curcumina, principal corante natural da Curcuma longa, inibe o crescimento tumoral e induz a apoptose de vários tipos de células malignas commecanismos semelhantes à maioria dos agentes quimioterápicos, porém sem efeito prejudiciais sobre as células normais.




















































2. CARACTERIZAÇÃO DA ESPÉCIE –




O açafrão (Curcuma longa L.), conhecido também como curcuma, é Conhecida no país como uma planta condimentar e medicinal pertencente àfamília Zingiberaceae.
A planta é do tipo herbácea, perene, originária do sudeste da Ásia, mais precisamente das encostas de morros de florestas tropicais da Índia. Introduzida no Brasil, é cultivada ou encontrada como sub-espontânea, em vários estados. Atinge em média 120 a 150 centímetros de altura em condições favoráveis de clima e solo. As folhas são grandes, oblongo-lanceoladas e...
tracking img