Cultura universitária: pressuposto para o sucesso académico. caso isced-cabinda, 2011

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2892 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de junho de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
TEMA: CULTURA UNIVERSITÁRIA: PRESSUPOSTO PARA O SUCESSO ACADÉMICO
Por Lic. Lando Emanuel Ludi Pedro
INTRODUÇÃO
No presente documento relacionamos alguns itens que julgamos relevantes serem mencionados aos ingressantes no sistema universitário, no que diz respeito à metodologia de estudo a ser adoptada, para um bom acompanhamento dão conjunto das cadeiras ou disciplinas a serem cursadas.Achamos importante apresentar-lhes um documento neste sentido, tendo em vista a diferença das exigências de estudo do aluno universitário comparadas àquelas feitas ao aluno secundarista. É claro que são somente linhas gerais que esperamos sirvam para auxiliá-los no curso que escolheram e para o qual foram seleccionados entre muitos. A importância de cada item irá variar de acordo com apersonalidade do estudante e a natureza do assunto a ser estudado.
O aspecto básico é que o estudo na universidade é um empreendimento extremamente sério, o qual envolve muito mais que simplesmente executar regularmente os trabalhos solicitados. Espera-se que um estudante universitário dedique parte significativa de seu tempo e energia aos estudos e actividades directamente relacionadas a eles. Asaulas não costumam esgotar todos os assuntos exaustivamente, mas pretendem expor os alunos a conceitos fundamentais, com o objectivo de facilitar o estudo individual posterior. Desta forma, o comparecimento às aulas deve necessariamente ser complementado por estudo individual. Embora o estudante tenha responsabilidade sobre seu estudo, sempre haverá ajuda para aqueles que tenham maioresdificuldades. Os professores do curso estão à disposição para discutir dificuldades com relação a qualquer aspecto da vida académica.
|1. HISTÓRIA DO SURGIMENTO DAS UNIVERSIDADES MEDIEVAIS |

As universidades tiveram uma causa material: o aumento  do caudal do saber humano, ao longo do século XII; uma causaformal: desenvolvimento do espírito de corporação com a   finalidade  de  defender  interesses comuns. Estas  duas  causas  agem  simultaneamente;  e quando ocorre uma causa eficiente, o mais das vezes um fato casual como a presença de um grande mestre,  a  luta  contra  o chanceler  de  uma  catedral  etc.,  vão surgindo  as diversas  universidades  que  tiveram também  uma causa final: a atracçãodas carreiras indispensáveis à sociedade e, em última instância, o serviço de  Deus e da Igreja” (D’IRSAY, 1933. v. 1, p. 4 e 5).
Como qualquer outra instituição social, a universidade não nasceu pronta nem permaneceu imutável através dos tempos. Em sua já quase milenar história participou activamente das peripécias políticas, sociais, económicas, científicas e culturais da humanidade.Suas raízes, entretanto, estão solidamente fincadas no chão da Idade Média. Para colher as “razões seminais” que lhe deram origem, é preciso rejeitar anacronismos e ajustar a visão à mentalidade dos tempos que a viram surgir.
Por isso mesmo, D’IRSAY (1933), o primeiro de toda uma  grande série de historiadores a se ocupar do assunto, lança mão, no texto acima, da teoria aristotélica dascausas, tão em voga na época, para resumir os múltiplos factores que deram origem à que hoje denominamos “universidade”.
|1.1. DEFINIÇÃO DE CONCEITOS |

• A CULTURA
É conjunto de manifestações de uma sociedade e a universidade como conjunto de pessoas de diversas áreas sóciasque se associam com as mesmas finalidades.

• A UNIVERSITAS
Etimologicamente, o termo “Universitas” significa multidão de elementos que convergem para formarem uma unidade. Da natureza dos elementos dependerá, pois, a aplicação que se der ao vocábulo. Os elementos aqui considerados não são os edifícios, então desnecessários, já que as aulas ocorrem nos claustros e domicílios, e as...
tracking img