Cultura um conceito antropologico

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3080 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:
LARAIA, Roque de Barros. Cultura: Um Conceito Antropológico. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 14 Ed, 2001.









Cultura. Um conceito antropológico





Introdução

Uma introdução ao conceito antropológico de cultura, realizada de forma didática, clara e simples. A primeira parte do livro refere-se ao conceitode cultura a partir das manifestações iluministas até os autores modernos, enquanto a segunda procura demonstrar como a cultura influencia o comportamento social e diversifica enormemente a humanidade, apesar de sua comprovada unidade biológica.



APRESENTAÇÃO DO LIVRO:

A primeira parte é referente a natureza da cultura ou natureza à cultura.
A segunda parte é referente a situação decomo opera a cultura.







Cultura
Um Conceito Antropológico.

DA NATUREZA DA CULTURA.
OU DA NATUREZA À CULTURA

Laraia introduz a idéia de que a natureza de todos os homens é idêntica e a cultura praticada por eles é o que separam, os tornam estranhos uns aos outros. Enquanto nacultura européia temos a prática de nudismo nas praias, no oriente médio as mulheres vão à praia com seus corpos completamente cobertos; a carne da vaca é proibida aos hindus enquanto a de porco é vetada aos mulçumanos; para os ciganos da Califórnia, a obesidade é referência de virilidade entre os homens, etc. Dessa forma o autor nos leva a perceber o tamanho da riqueza cultural em que o homem estáinserido, sua capacidade de criar diferentes e, ousados modos de viver, sendo portando um ser, em sua individualidade, quase que como uma digital: diferente e único.

[É muito interessante a forma com que a cultura é abordada por Laraia, faz com que se possa compreender mais a fundo nossa relação com nossa própria cultura, a qual as vezes não percebemos o quanto ela é rica e que não aconhecemos].

Seria o determinismo biológico ou geográfico que possibilitariam essa diferença cultural? Para o autor ambos não conseguem explicar definitivamente essa questão. A biologia humana e a geografia não são fatores determinantes, mas de influência. Um exemplo biológico é a amamentação que pode ser transferida ao homem através da mamadeira. Quanto aos fatores geográficos, essesencontram limitações na influência. É colocado que se o determinismo fosse real, os seres humanos encontrariam as mesmas respostas para, por exemplo, a sobrevivência em ambientes agressivos. Enquanto o esquimó constrói iglus e são caçadores, os ladrões vivem em tendas de peles de rena e são excelentes criadores desse animal. Ressaltando que no sentido antropológico, todos os seres humanos buscam de formasdiferentes saciar necessidades iguais.
Contudo, uma vez que ao analisamos o ser humano como um animal geneticamente programado como qualquer outro, perceberemos que o fator cultural é um resultado da continua evolução. Deixando de lado o homem e passando a observar outros animais, percebemos atos que ora nos, parecem peculiar o que poderia ser considerado como indício desse desenvolvimentocultural.


“Determinismo Biológico”. Logo após a introdução, o escritor passa a caracterizar o Determinismo Biológico. Inicialmente usa o argumento de que um indivíduo que nasceu em determinada sociedade e foi transportado para uma outra, crescerá como tal e não se diferenciará mentalmente dos outros que estiverem em seu novo convívio. Ele resume o comportamento dos indivíduos dizendo quea formação do seu eu depende de um aprendizado.
O determinismo biológico, como o próprio nome diz, afirma que a biologia dos seres humanos determina seus comportamentos. Roque faz questão de enfatizar que os antropólogos da atualidade não acreditam nesse conceito: o comportamento de cada um é conseqüência de um aprendizado, um processo chamado de endoculturação. Segundo Felix Keesing,...
tracking img