Cultivo de tilápias - estudo de caso

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 23 (5658 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de dezembro de 2010
Ler documento completo
Amostra do texto
RELATÓRIO SOBRE AS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS EM UM PROJETO DE CULTIVO DE TILÁPIA DO NILO, Oreochromis niloticus (L., 1766), LINHAGEM CHITRALADA (TAILANDESA), EM TANQUES-REDE, NO MUNICÍPIO DE BOA VIAGEM-CE.

ÍTALO RÉGIS CASTELO BRANCO ROCHA

1. INTRODUÇÃO

1.1- Produção Aquícola

Em 1993 a produção pesqueira mundial foi de aproximadamente 100 milhões de toneladas, sendo 83%provenientes de águas oceânicas e 17% de águas continentais. O Brasil produziu cerca de 780 mil toneladas de pescado, sendo 72% de origem marinha e 28% de águas interiores, classificando-se em 24º lugar, atrás de alguns países que apresentam potencial pesqueiro inferior ao brasileiro (Borghetti, 1996; FAO, 1995).
A aquicultura apresenta-se como uma atividade agropecuária de grande importânciaeconômica, tendo gerado US$ 50,3 bilhões referentes a uma produção de 36,0 milhões de toneladas de pescado, obtida no ano de 1997 (TABELA 1) (FAO, 1999).
Em relação à produção aquícola, obtida no ano de 1997 (FAO, op. cit), as tilápias contribuíram com 945,7 mil toneladas, tendo gerado US$ 1,3

TABELA 1 - Produção de pescado oriundo da aquicultura com valores em dólar(US$), no ano de 1997.
|Produtor |Produção total (%) |Produção (Ton) |Produção (US$) |
|Prod. Mundial |100,00 |36.050.168 |50.369.096.000,00 |
|Ásia |90,90 |32.770.370 |42.048.422.000,00|
|América do Sul |1,78 |642.998 |2.200.023.000,00 |
|Chile |0,75 |272.346 |918.652.000,00 |
|Brasil |0,19 |70.480 |272.416.000,00 |Fonte: FAO (1999).

bilhão, representando o segundo grupo de espécies mais importante na aquicultura a nível mundial (Lovshin, 1997) e o terceiro produto de importação dos Estados Unidos, depois do camarão marinho e do salmão do Atlântico, Salmo salar (Seafood Business, 1998).
A aquicultura brasileira é responsável por apenas 10,6% da produção aquícola da América Latina.Considerando-se o potencial produtivo que o país possui e o fato da América do Sul ser responsável por 1,78% da produção mundial, não seria exagero afirmar que a aquicultura brasileira é ainda inexpressiva, fazendo com que o Brasil ocupe uma modesta 33.a posição no ranking mundial da aquicultura (Borghetti & Ostrensky, 1998; FAO, 1999).
Segundo Borghetti & Ostresky (op. cit) e Cyrino et al. (1998)o Brasil produziu, em 1996, 60,7 mil toneladas de produtos de origem aquícola, sendo 28% de origem marinha (camarões marinhos) e 72% de águas interiores, o que significa um aumento de quase 50% em relação à safra de 1995. No que se refere à produção aquícola do ano de 1997, os dados oficiais indicam que o Brasil produziu, naquele ano, 70,5 mil toneladas de produtos de origem aquícola obtendo,portanto um incremento de 16% em relação ao ano anterior. (FAO, op. cit).
A produção nacional está concentrada na Região Sul, seguida pelas Regiões Sudeste, Centro-Oeste, Nordeste e Norte. Entretanto, ao se analisar os dados relativos aos anos de 1995 e 1997 observa-se uma acentuada taxa de crescimento nas Regiões Nordeste e Centro-Oeste (TABELA 2), verificando-se um aumento de 115,2% e86,2%, respectivamente (Borghetti & Ostrensky, op. cit).
Segundo a FAO (op. cit) o Brasil em 1997 produziu 13.660 toneladas de tilápias (Oreochromis spp.), provenientes do cultivo, correspondendo a 19,40% de toda a produção nacional, embora as carpas tenham apresentado a maior representatividade, atingindo a produção de 20.720 toneladas (29,40%).

TABELA 2 - Produção aquícola brasileira...