Cruz vermelha brasileira

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2725 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
“Ajudar é estar preparado para encarar qualquer situação sem medir esforços. Eu escolho cuidar e ver um sorriso em cada rosto com alegria”.
Henri Dunant








INTRODUÇÃO



É impossível falar em Cruz Vermelha Brasileira sem referir-se primeiramente ao Movimento Internacional da Cruz Vermelha. Isso porque a inspiração do Dr. Joaquim de Oliveira Botelho, fundador daCruz Vermelha Brasileira em 1907, partiu das coisas que ele observou nos países em que a fundação já havia sido implantada.
Neste trabalho iremos mostrar como se deu início a Cruz Vermelha no mundo e quais foram os impactos benéficos causado pela fundação, que hoje conta com mais de noventa e sete milhões de pessoas, em maioria voluntária, trabalhando incansavelmente para o bem daqueles que maisprecisam de ajuda, além de mostrarmos, também, como ela foi implantada no Brasil, bem como os desafios enfrentados por seus idealizadores para que aqui também se atingisse o objetivo de proteger a vida e a saúde humana sem distinção de cor, raça, sexo, religião, pensamento ou poder aquisitivo, pois essa é a principal política adotada pelos comitês internacionais da Cruz Vermelha.

1. O INÍCIO1.1 A história da Cruz Vermelha Internacional
No ano de 1859, ocorreu na Itália a Batalha de Solferino, combate resultante da invasão do Reino da Sardenha pelos austríacos nesse ano. A maior vitória, porém, não foi a das tropas de Napoleão III e a das de Sardo-Piemontesas de Vítor Emanuel II sobre o exército austríaco, e sim o surgimento de uma ideia que geraria uma reviravolta no que dizrespeito ao atendimento dos feridos de guerra a partir desse período.
Essa batalha que durou aproximadamente nove horas atingiu altos números de feridos, mortos e prisioneiros de guerra. De ambos os lados, a terrível notícia de que, inúmeros soldados eram baleados e abatidos a todo instante, geravam horror e medo. Ao presenciar essas cenas, Jean-Henri Dunant preferiu abandonar os campos debatalha e dar início a campanhas voluntárias para prestar os primeiros socorros e assistência aos feridos de guerra.
Dessa experiência, Henri Dunant inspirou-se em redigir um livro onde relatara literalmente os horrores presenciados no combate onde os socorros militares não eram suficientes. Além de sua dolorosa contemplação exposta em sua obra, Henri expunha também a ideia da “criação de gruposnacionais de ajuda”, onde pudesse prestar auxílio aos feridos em situações semelhantes as que ele presenciou, além de propor a “criação de uma organização internacional que permitisse melhorar as condições de vida e prestar auxílio às vítimas da guerra”. Surgiria através dessas ideias a Cruz Vermelha e o Movimento do Crescente Vermelho; além disso, a “sistematização de um direito internacional deconflitos armados, mais conhecido como Direito Humanitário Internacional” seria implantado após os relatos dados por Henri em seu livro.
Em decorrência do impacto gerado nos leitores do livro, em 1863, o advogado e presidente da “Sociedade de Bem Estar Público de Genebra”, Gustave Moynier, juntamente com o general Guillaume Henri Dufour, Dr. Luis Appia e Dr. Theodore Maunoir, uniram-se a HenriDunant com a intenção de colocar as ideias dele em prática através da formação de um “Comitê Internacional de Assistência aos Feridos”, reunidos pela primeira vez em 17 de fevereiro de 1863 e que, posteriormente, foi nomeado “Comitê Internacional da Cruz Vermelha”. Essa reunião contou com a presença de representantes de dezesseis nações. Eles foram convidados para debaterem qual seria a filosofiautilizada pela Cruz Vermelha, quais suas funções, “métodos de trabalho para a Assistência aos Feridos que Dunant havia proposto” e, acima de tudo, pensar nos próximos passos para tornar essas propostas uma realidade que abrangesse as expectativas.
Dentre esses passos, um tratado internacional para garantir a ação desses comitês em tempos de guerra através de uma Conferência Diplomática, única...
tracking img