Cronica do alaska

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 231 (57503 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de setembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Rudolf Steiner

A crônica do Akasha
A gênese da Terra e da Humanidade: uma leitura esotérica

Tradução: Lavínia Viotti

Prefácio do editor
Para atender a inúmeros pedidos, são agora editados sob forma de livro, após trinta e cinco anos, estes artigos do Dr. Rudolf Steiner publicados em 1904. Eles foram escritos primeiramente para a revista mensal Lucifer-Gnosis, que mais tarde passou aser publicada só esporadicamente. Isso explica a razão de freqüentes repetições e alusões a assuntos já tratados. As repetições, porém, são extremamente favoráveis ao estudo da Ciência Espiritual. Muitos leitores poderiam achar um tanto confuso o emprego, ao lado da nova terminologia usada no Ocidente, de termos pertencentes ao esoterismo oriental. A terminologia oriental tornara-se popular naEuropa, em fins do século XIX, por intermédio da literatura da Sociedade Teosófica. Esses termos exóticos se haviam gravado na memória, porém as nuances mais delicadas que o oriental percebe neles não eram acessíveis aos europeus. O Dr. Steiner esforçou-se incessantemente pelo aperfeiçoamento de nossa linguagem, amoldada às percepções sensórias, para que ela conseguisse exprimir conceitos espirituaismais sutis e imagens concretas, até mesmo dos domínios supra-sensíveis. Ao descrever a atuação das Hierarquias, ele usa a terminologia usual cristã. O que se apresenta ante nossos olhos na Crônica do Akasha, em cenas breves, encontra continuação nos livros Teosofia e A ciência oculta. A revista Lucifer-Gnosis, em conseqüência da intensa atividade de conferencista e outras ocupações do Autor, nãopôde continuar a ser editada. Ao lado do resultado de pesquisas do ocultismo, ela contém muitos artigos em que o Dr. Steiner justifica suas afirmações perante o pensamento científico da atualidade. Como não poderia deixar de ser, para a maioria dos leitores sem o devido preparo artigos como esses sobre a “Crônica do Akasha” não passam, hoje em dia, de fantasias absurdas; e é por essa razão que osprecedem e sucedem dois artigos sobre os problemas do conhecimento da atualidade, publicados na mesma revista. Em sua lógica sóbria, eles pretendem provar que o pesquisador de mundos supra-sensíveis sabe considerar também os problemas de hoje com calma e objetividade. A revista dava também resposta a questões apresentadas pelos leitores. Escolhemos algumas delas, referentes à humanidade atlântica eà Ciência Oculta. Quem quiser esclarecer-se sobre a maneira como é feita a leitura da Crônica do Akasha precisa, naturalmente, dedicar-se de modo mais profundo ao estudo da Antroposofia. Ao lado dos livros acima citados, aconselhamos aos leitores mais adiantados no estudo da Ciência Espiritual as considerações esotéricas sobre “Leitura e audição ocultas” e o terceiro volume da série “Seresespirituais e sua atuação”, que acaba de ser editado, e que hoje em dia deveria ser de especial interesse: Geschicht-liche Notwendigkeit und Freiheit. Schicksalseinwirkungen aus der Welt der der Toten [Necessidade e liberdade históricas. Intervenções no destino provenientes do mundo dos mortos]. Marie Steiner

A cultura da atualidade à luz da Ciência Espiritual
(A título de Prefácio do Autor)
Para osleitores que seguiram o desenvolvimento das Ciências nos últimos decênios, não pode haver dúvidas sobre o fato de que se prepara uma transformação enorme em seu âmbito. Hoje em dia, ao contrário do que se dava até pouco tempo, encontra repercussão

2

totalmente diversa um cientista que se manifesta a respeito dos assim chamados enigmas da existência. Em meados do século dezenove, alguns dosmais ousados espíritos consideravam o materialismo científico a única profissão de fé possível aos conhecedores dos mais recentes resultados da pesquisa científica. Ficou célebre a crassa afirmação, feita nessa época, de que “os pensamentos se relacionam com o cérebro tal como a bílis com o fígado”. Foi enunciada por Karl Vogt, que em seu livro Köhlerglauben und Wissenschaft [A fé do carvoeiro...
tracking img