Crises existencias das idades

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2643 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de abril de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Crises Psicológicas das Idades
Desde a adolescência até a maturidade as pessoas passam por diversas crises, ao contrario do que todos pensam que existe somente a crise de meia-idade, e a cada fase superamos novos desafios e novas transformações fisiológicas e psicológicas. Dizem os especialistas que dos 15 aos 60 anos, passamos por várias crises. Eles indicam como usa-las para que possamos nostornar um ser humano melhor. Vai depender exclusivamente de cada um e da formação social que tivermos no decorrer desses anos.

Crises Pós-Natal
A Crise das Idades tem início com a crise pós-natal. O nascimento é considerado como um ato crítico. Esse período do nascimento até o segundo mês é marcado pela transição e conexão entre os últimos meses do desenvolvimento intra-uterino e as primeirassemanas após o nascimento da criança, mais especificamente até o segundo mês de vida . Quando nasce, a criança se separa da mãe fisicamente, porém, não biologicamente, pois ainda irá depender dela para manter suas necessidades vitais. É com o nascimento do bebê que se inicia o desenvolvimento. Pode-se dizer, que esse período é o ponto de partida para o desenvolvimento da personalidade da criança. Acriança apresenta nessa fase tanto características da vida intrauterina como da vida extrauterina, ela percorre uma transição entre a forma de vida passada e a nova formação. É esse processo de adaptação do recém-nascido a essa nova etapa de vida, que faz surgir uma nova formação que contribuirá para o desenvolvimento da personalidade da criança.
O limite do período de crise pós-natal surge coma aparição da primeira manifestação do sorriso do bebê em reação à voz humana. Esta é tida como a primeira relação social da criança e ocorre no limite entre primeiro e segundo mês de vida.

Crise do Primeiro Ano de Vida
São três os momentos que envolvem a crise do primeiro ano de vida: o processo de andar, a linguagem e os afetos e as vontades. Pode-se dizer que esses três momentos estãoestabelecidos a partir de uma fórmula dialética em sua formação. Quando começa a andar, o bebê não o faz de repente, ele passa por toda uma etapa de sentar, engatinhar, se apoiar nos objetos, a fim de levantar e dar os primeiros passos, necessitando do apoio do adulto, que lhe passa a mão para equilibrá-lo e por fim percorre pequenos trajetos até conseguir sua independência. Esse processo todo levatempo e ocorre de forma dialética, no sentido que em alguns momentos considera-se que a criança já anda, em outros ainda não. Em relação à linguagem ocorre a mesma coisa, não se pode determinar se a criança é falante ou não, pois a fala igualmente ao andar é um processo lento e complexo, que não vem pronto, não é mecânico.
No desenvolvimento da linguagem infantil há dois momentos claramenteperceptíveis, que são o período pré-linguístico , onde a criança ainda não tendo dominado o idioma materno utiliza formas não verbais para se comunicar e o período verbal, aquele onde a criança já se apropriou da linguagem dos adultos. Porém de forma não muito perceptível, aparece entre esses dois períodos, a linguagem autônoma infantil, que é quando a criança impõe ao adulto o seu idioma. Esse período éque vai ajudar a entender como a criança passa para o período verbal. Nele, a criança que ainda não se apropriou do idioma materno recorre a uma linguagem peculiar para se comunicar. A criança antes de dominar nossa articulação e nossa fonética, já domina alguns rudimentos tanto de palavras como de significados, porém, não coincidentes com os dos adultos. Desta forma, somente em situaçõesconcretas, quando o objeto pode ser visualizado, é que se faz possível a comunicação da criança com o adulto, o que dificulta muito o entendimento, ou seja, a comunicação entre os dois.
A criança, nesses primeiros meses de vida, necessita da linguagem para se comunicar e para desenvolver seu pensamento, assim como aprender a andar para se locomover. Nesse sentido, a crise do primeiro ano colabora para...
tracking img