Crise nos eua

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3295 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
A CRISE NOS ESTADOS UNIDOS E OS REFLEXOS NA ECONOMIA MUNDIAL
Jonatas schulze
RESUMO
O tema do presente artigo científico é sobre a crise nos EUA. Os objetivos específicos São analisar os problemas que a crise gerou na economia mundial. O objetivo geral da pesquisa é Estudar o problema que esta crise trouxe tanto pra o paísquanto para os demais países.

PALAVRAS-CHAVE: Crise dos EUA.
.
ABSTRACT
The theme of this scientific article is about the economic crisis. The specific objectives are to address the problems that caused the crisis in the global economy. The overall objective is to study the problem that this crisis has brought so much to the country and to other countries.
KEY-WORDS: U.S. crisis.

SUMÁRIO:INTRODUÇÃO; 1 A CRISE DO PAÌS;
2 ORIGEM DA CRISE; 3 RISCOS E PODERES REGULATÓRIOS; 4 CRISES DO SUBPRIME;
5 O SOCORRO GOVERNAMENTAL; 6 CONSEQUENCIAS; 6.1 MUNDO; 6.2 BRASIL; 7 ANALISES;
CONCLUSÃO; REFERÊNCIAS.

INTRODUÇÃO
O presente trabalho busca trazer fatos sobre a crise dos EUA ,trazendo todos os fatos e acontecimentos ocorridos.

1. A CRISE DO PAÍS:
Alguns economistas, noentanto, consideram que a crise dos subprimes, tem sua causa primeira no estouro da "bolha da Internet" (em inglês, dot-com bubble), em 2001, quando o índice Nasdaq (que mede a variação de preço das ações de empresas de informática e telecomunicações), despencou.
De todo modo, a quebra do Lehman Brothers foi seguida, no espaço de poucos dias, pela falência técnica da maior empresa seguradora dosEstados Unidos da América, a American International Group (AIG). O governo norte-americano, que se recusara a oferecer garantias para que o banco inglês Barclays adquirisse o controle do cambaleante Lehman Brothers, alarmado com o efeito sistêmico que a falência dessa tradicional e poderosa instituição financeira - abandonada às "soluções de mercado" - provocou nos mercados financeiros mundiais,resolveu, em vinte e quatro horas, injetar oitenta e cinco bilhões de dólares de dinheiro público na AIG, para salvar suas operações. Mas, em poucas semanas, a crise norte-americana já atravessava o Atlântico: a Islândia estatizou o segundo maior banco do país, que passava por sérias dificuldades.
Para evitar colapso, o governo norte-americano reestatizou as agências de crédito imobiliárioFannie Mae e Freddie Mac, privatizadas em 1968, que agora ficarão sob o controle do governo por tempo indeterminado.
Em outubro de 2008, a Alemanha, a França, a Áustria, os Países Baixos e a Itália anunciaram pacotes que somam 1,17 trilhão de euros (US$ 1,58 trilhão /≈R$ 2,76 trilhões) em ajuda ao seus sistemas financeiros. O PIB da Zona do Euro teve uma queda de 1,5% no quarto trimestre de2008, em relação ao trimestre anterior, a maior contração da história da economia da zona.

2. ORIGEM DA CRISE
Tudo começou em 2001, com o furo da "bolha da Internet". Para proteger os investidores, Alan Greenspan, presidente da Reserva Federal Americana, decidiu orientar os investimentos para o setor imobiliário. Adotando uma política de taxas de juros muito baixas e de redução dasdespesas financeiras, induziu os intermediários financeiros e imobiliários a incitar uma clientela cada vez maior a investir em imóveis, principalmente através da Fannie Mae e da Freddie Mac que já vinham crescendo muito desde que diferentes governos e políticos dos Estados Unidos as usaram para financiar casas aos mais pobres. O governo garantia os investimentos feitos por estas duas empresas. Bancosde vários países do mundo, atraídos pelas garantias do governo, acabaram emprestando dinheiro a imobiliárias através da Fannie Mae e da Freddie Mac que estavam autorizadas a captar empréstimos em qualquer lugar do mundo.
Foi assim criado o sistema das hipotecas subprimes, empréstimos hipotecários de alto risco e de taxa variável concedidos às famílias "frágeis", ou seja, para os clientes...
tracking img