Crash - no limite

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1298 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 31 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
1 CENA

A segunda cena do filme Crash se em uma rua movimentada. Dois negros estão caminhando e discutindo sobre alguns problemas que sua raça enfrenta em vários ambientes sociais. Os personagens fazem a observação da diferença dos valores dos salários recebidos por brancos e negros, estes que normalmente possuem piores empregos, como o da garçonete que acabara de servi-los mal,por que eles não possuíam condições de oferecer gorjetas por seu atendimento.
Dessa conversa informal e despretensiosa, surge a constatação de que sua presença naquele bairro nobre, onde se encontravam, causava temor em algumas pessoas, como um casal branco, formado por um promotor de justiça e sua esposa, que demonstrando desconfiança ao cruzar com os jovens, despertou a ira contida neles,que praticaram um assalto, confirmando haver fundamento em toda discriminação sofrida pela comunidade negra.




2 INTRODUÇÃO

Neste projeto, analisaremos uma cena do filme Crash- No Limite (2004). Um relato de como o tema racismo é inscrito na sociedade contemporânea. Uma reflexão sobre os preconceitos a partir da ação de cidadãos comuns e vulneráveis. Revelando oslimites, as contradições, suas diferentes atitudes, seus medos, a intolerância, a separação, a segregação, a discriminação e a concepção de superioridade, em alguns casos, e inferioridade em outros.
Os preconceitos de uma sociedade estão presentes na construção da individualidade e em ações do cotidiano, podendo revelar-se a qualquer momento. Estamos habituados a um silêncio formal, que nosilude a ponto de acreditarmos que eles não existem, ou que não possuímos responsabilidade sobre eles. As pessoas tentam ocultá-los, mas quando sujeitos a um determinado momento ou situação, tomam atitudes e revelam um incomodo definido em sua conduta.
A discriminação é um dos maiores problemas da nossa sociedade. Ela é uma tendência do pensamento, e podemos dizer, não somente porcaracterísticas físicas, mas, sobretudo por diferentes condições sociais. Devemos ter consciência no que se refere a Declaração Universal Dos Direitos Humanos (1984), Artigo I. “Todas as pessoas nascem livres e iguais em dignidade e direitos – são dotadas de razão e consciência e devem agir em relação umas às outras com espírito de fraternidade”.





3 HIPÓTESE

Existe um númeromuito alto de pessoas que continuam a encontrar grandes dificuldades no exercício de sua cidadania. O preconceito e a descriminalização não são somente por parte de classes bem sucedidas, mas de todos independentes de raça e posição social. Possuímos uma pré-compreensão do mundo, e é através dela que escolhemos nossos círculos de amizade, os ambientes que freqüentamos e as pessoas que evitamos.Possuímos uma constituição não racional de julgar o próximo e lidar com ele através de julgamentos, culturalmente fundamentados. Erroneamente colocamo-nos em um patamar elevado e nos fazemos sobrepor ao direito de ir e vir do próximo, e a sua liberdade de expressão. Perdemos a dignidade quando agimos de forma intolerante, desrespeitosa e mal educada, causando prejuízos a nós mesmo, visto que,recebemos o mesmo tratamento dado.



4 OBJETIVOS

4.1 Objetivo Geral

Este trabalho tem por objetivo demonstrar que os preconceitos afetam a todos os cidadãos, dando ênfase ao preconceito racial que moldam as sociedades contemporâneas.

4.2 Objetivo Específico

Promover uma reflexão acerca da descriminação presente em todos os setoressociais. O racismo, tantas vezes negado e dissimulado na sociedade brasileira, manifesta-se de diversas formas no cotidiano, prejudicando sempre os mesmos setores sociais. Os negros ganham menores salários, e são as principais vítimas de preconceitos. Reconhecer o descaso que a própria população tem com os seus semelhantes. E por fim, indicar uma, de muitas, soluções para a solução deste problema....
tracking img