Crack o uso restrito as metropoles

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1586 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO
serviço social

roseane pereira da silva

o uso do crack:um problema restrito as metrópoles

ARCOVERDE
2012

ROSEANE PEREIRA DA SILVA

O USO DO CRACK: UM PROBLEMA RESTRITO AS METRÓPOLES?

Trabalho apresentado ao Curso Serviço Social da UNOPAR VIRTUAL - Universidade Norte do Paraná, para a disciplina Atividade Interdisciplinar.

Prof.ª LisnéiaAparecida Rampazzo
Prof.ª Giane Albiazzetti
Prof.ª Gleiton Lima
Prof.ª Rosane Malvezzi

ARCOVERDE
2012

SUMÁRIO

1- RESUMO............................................................................................04

2- INTRODUÇÃO 05

3- DESENVOLVIMENTO 07

4- CONCLUSÃO 10

5- REFERÊNCIAS 11

RESUMO

Nestes últimos anos percebe-se ocrescimento considerável do uso do crack cada vez mais disseminado por todo o país, sem fazer distinção das metrópoles ou das pequenas cidades. Abordado sobre um ponto de vista social , a sociedade enfrenta esta situação buscando soluções para este problema, que já tem causado várias perdas ,muitas dessas irreparáveis.
Os tabus que envolvem o fenômeno e o caráter passional como que é tratado não favorecem soluções pra os problemas contemporâneos dele decorrentes. O uso de drogas e suas dependência tendem a ser percebidos como um dado em si, descontextualizado, uma fatalidade individual que seria preciso erradicar.Daí o desafio para a reflexão sobre a problemática das drogas numa perspectiva democrática.
Logo, é primordial que encontremosrespostas mais adequadas para as diversas facetas que o fenômeno social da dependência química apresenta,caso contrário,acabaremos por recorrer à resposta mais antiga que a sociedade moderna tem encontrado, a saber, a resposta repressiva que se orienta por um modelo antiquado e ineficaz.
Palavras-chave: crack; sociedade; dependente químico.

INTRODUÇÃO

O fenômeno douso abusivo de substâncias psicoativas na sociedade atual tem se construído como uma problemática acentuadamente complexa e, embora as transformações histórico-culturais e, as inovações tecnológicas tenham sido marcantes nos últimos anos, as concepções e modelos da abordagem prática de tal fenômeno não tem avançado significativamente e requerem estudos e reflexões relacionadas as intervenções bemcomo as políticas e saberes teóricos que tem subsidiado as mesmas(Souza e Kantorski,2007).
O tema relacionado às drogas vem ganhando uma visibilidade cada vez maior estando presente em todos os segmentos da mídia. Conforme aponta Velho (1999, pág. 23) "faz parte de um senso comum, especialmente na imprensa, a noção de um mundo das drogas”.
Ainda é importante salientarque o enfrentamento das drogas tem sido uma questão maciçamente discutida em todo o mundo e que vem sendo abordado especificadamente como um problema de saúde pública.

Conforme o Relatório Mundial do Escritório da Organização das Nações Unidas de Combate às Drogas e Crimes estima-se que 5% da populaçãomundial entre 15 e 64 anos faz uso regular de algum tipo de substância ilícita, contabilizando aproximadamente 200 milhões de pessoas (SCHEFFER, PASA E ALMEIDA; 2010).

Sendo apontado como uma das principais causas de desajustamento social a questão antidrogas é causa de interesse em qualquer âmbito organizacional seja ele de caráter religioso, filantrópico,político ou cultural.
Urge, portanto encará-lo como fator de desestruturação do indivíduo que pelo qual precisa ser expansivamente erradicado da sociedade.

DESENVOLVIMENTO

Atualmente, o consumo de crack e de outras drogas está inserido no cotidiano de grande parte da população mundial. Tal realidade está associada a uma série de outras situações de risco à saúde e, vem...
tracking img