Corpo e movimento: alguns desafios para a educação infantil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2638 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CURSO: PEDAGOGIA - ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO II





ARACELI BORGES











RESENHA CRÍTICA

























COLATINA

2011

ARACELI BORGES















RESENHA CRÍTICA


Trabalho apresentado à disciplina de Estágio Curricular Supervisionado II do Curso de Pedagogia daFaculdade Castelo Branco, como requisito parcial para avaliação, sob a orientação da professora Vera Eli Baptista Fachetti.






















COLATINA

2011

CORPO E MOVIMENTO: ALGUNS DESAFIOS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

Débora Thomé Sayão

Membro do Núcleo de Estudos e Pesquisas da Educação de 0 a 6 anos UFSC

Centro de Ciências da Educação Professora do Curso dePedagogia



A autora trata do tema “corpo e movimento” relacionado à Pedagogia, em especial à Educação Infantil, orientando adultos que atuam com crianças de zero a seis anos em creches e pré-escolas.

Débora Thomé diz que nossos corpos estão inseridos em contextos socioculturais diferentes e esse é o fator determinante ao nosso modo de ser e nos portar e por sermos adultos bem resolvidos,acabamos nos esquecendo de nosso tempo de infância, com isso passamos a cobrar as crianças uma postura mais séria, fazendo com que elas reprimam sua espontaneidade, criatividade, ousadia e sensibilidade expressas por gestos.

Ela ressalta a importância da formação dos professores de Educação Infantil e aponta falhas que acarretam uma certa ignorância e pudor em atividades relacionadas ao corpo. Oeducador deve saber captar a função pedagógica das brincadeiras, porém, o ato de brincar não deve ser direcionado apenas ao conhecimento, assim se perderá o lado prazeroso e espontâneo dos pequenos.

Destaca em suas ideias autores como Benjamin e Vigotsky para fundamentar os elementos jogo, brincadeira e movimento e diz que o direcionamento constante das brincadeiras ao lado cognitivo e umaprodução liberal são os responsáveis por professores que não reconhecem os valores da ludicidade, da brincadeira e do jogo como importantes em um determinado currículo.

Débora nos mostra como a maldade permeia a cabeça dos adultos em relação a sexualidade das crianças, devido a isso os professores evitam jogos e atividade que supõem contatos físicos, desenvolvendo assim na criança ao longo de suavida uma espécie de timidez corporal. Nos mostra também que experiências prazerosas às crianças criam bons hábitos.

É importante ressaltar que todos devemos conhecer as possibilidades e reações de nossos corpos em diversas situações. O toque proporciona experiências que aproxima crianças de adultos, portanto não basta somente observar, é necessário fazer junto. Devemos estar cientes queacidentes acontecem e saber também que várias experiências são advindas disso, portanto o risco jamais deve ser visto como justificativa para que a experiência não ocorra.

Este texto é de extrema importância para profissionais da Educação Infantil, ele nos mostra o lado educativo da brincadeira, mas também o simples brincar infantil. Nos leva a proporcionar ás crianças desafios ao seu própriocorpo, a educarmos nossos alunos para que sejam mais autoconfiantes e nos mostra que momentos satisfatórios no brincar criam bons hábitos.

Concordo com a autora quando ela afirma que os profissionais da educação estão despreparados para lidarem com determinadas situações e brincadeiras infantis por terem sido formados com certo pudor ao que se diz respeito ao corpo, não devemos privar as criançasde se descobrirem e desafiarem seus limites para que não tornemos nossos alunos inseguros e desacreditados de si.

Finalmente, com o estudo deste texto, podemos amadurecer mais em nosso curso, inclusive para aceitar e até solicitar crítica rigorosa, que em muito pode enriquecer nosso trabalho e ajuda para criarmos um currículo atualizado e voltado para o auxílio à descoberta do corpo....
tracking img