Copa do mundo e nossa

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1946 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Central de Cases

Fonte: clip-art

A COPA DO MUNDO É NOSSA

www.espm.br/centraldecases

Central de Cases

A COPA DO MUNDO É NOSSA

Preparado pelo Prof. Marcus S. Piaskowy, da ESPM-SP.
Recomendado para as disciplinas de: Marketing e RI.
Este é um caso fictício, cuja elaboração é de exclusiva responsabilidade do autor.
Desenvolvido unicamente para fins de estudo em ambienteacadêmico. Eventuais
semelhanças com fatos reais terão sido mera coincidência. Direitos autorais
reservados ESPM
Setembro 2009

www.espm.br/centraldecases

RESUMO
Empresa de transporte executivo, sediada em Salvador (BA), vê na Copa do mundo
de 2014 a possibilidade de crescimento por meio da segmentação e desenvolvimento
de contatos internacionais.

PALAVRAS-CHAVE
Empreendedorismo, Copa doMundo, turismo, planejamento.

| Central de Cases

3

http://tzbishop.files.
wordpress.2007/11/
110607-0123brasil2014s1.jpg

“Para ter um negócio de sucesso,
alguém, algum dia, teve que tomar
uma atitude de coragem”.
(Peter Drucker)

Oportunidade, estratégia, ousadia
e planejamento são fatores que podem definir
o sucesso e o fracasso de uma empresa.
Muitas vezes é preciso tomaruma decisão
de impacto e coragem no desenvolvimento
da empresa. Segundo Peter Drucker,
“Os resultados são obtidos pelo aproveitamento
das oportunidades e não pela solução
de problemas. Os recursos precisam ser
destinados às oportunidades e não aos
problemas”. Não basta visualizar uma
oportunidade; é preciso torná-la real. A questão
é como fazer? Em que investir? Nessas horas
é precisolembrar que investir também
é capacitar a empresa para enfrentar desafios.
Municiá-la de informações sobre
o mercado de atuação, os clientes,
a concorrência, e sobre ela mesma.

| Central de Cases

4

http://www.copa2014
.org.br/midia/cidadessedes/salvador_
2932009-14747.jpg

Gilberto saiu da barraca da Dinha, com um acarajé nas mãos e muitas ideias na cabeça.
Resolveu caminhar pelaorla do Rio Vermelho, bairro boêmio da capital soteropolitana.
Gil, como era conhecido, costumava dizer que era discípulo da escola peripatética(1),
pensava melhor enquanto caminhava. E dessa vez ele realmente precisava pensar muito. Desde que o Brasil foi anunciado como o país sede da Copa do Mundo, de 2014,
Gil sonhava acordado. Fanático por futebol, já se imaginava assistindo a todos os jogose vendo a seleção canarinho levantar a taça. Até aí tudo bem, ele realmente era louco
por futebol. Em 2006, Gil foi à Alemanha assistir a copa, e ainda guardava o gosto amargo de assistir a derrota para o time italiano. O problema, ou melhor, a oportunidade que
se apresentava era que Salvador seria palco da festa. A capital baiana foi escolhida
pela FIFA para ser uma das sedes da Copa. Oestádio da Fonte Nova, “casa” do amado
Bahia, seria reformado para abrigar os jogos. Gil mal podia se conter de tanto orgulho
e felicidade; era torcedor “roxo” do Bahia.
A copa do mundo iria atrair muitos investimentos públicos e privados. Salvador seria inundada por turistas, dólares, euros e outras moedas, e Gil queria participar.
Queria uma fatia desse bolo. O problema era que ele ainda não sabiacomo. Sabia que
precisava estruturar um planejamento estratégico e colocar em prática um projeto. Tinha cinco anos para arredondar as coisas e sabia que precisava dar o pontapé inicial.
Há oito anos, Gil abriu as portas da ZZZ Transporte Executivo. A empresa começou com uma van, um carro e um telefone. Anos depois, a frota era formada por 12
vans, 5 micro-ônibus e 11 carros de luxo, 30motoristas, uma equipe de atendimento
e duas sedes – a matriz em Salvador e a filial de Camaçari.
Olhando para trás não dava nem para acreditar que a ZZZ havia crescido
tão rápido.
Gil lembrava bem das dificuldades. Quando se formou em administração
de empresas não sabia o que fazer. Só tinha uma certeza: iria ser dono do seu próprio
negócio. Gilberto trabalhava desde os 14 anos de idade. Seu...
tracking img