Copa do mundo no brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 17 (4028 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
1. A Copa do Mundo de 2014 será uma competição de futebol que acontecerá no Brasil, com isso o país ganhará alguns benefícios. O esporte será mais valorizado junto com o país e as obras de infra-estrutura serão mais avançadas para melhor estruturar as cidades que receberão a copa.
Pensamos que essa decisão venha a ser uma boa oportunidade para o país crescer perante os olhos do mundo,principalmente culturalmente. Visando mostrar também uma outra face que o Brasil possui. As obras de infra-estrutura serão uma ótima oportunidade para o país melhorar seus meios de transporte, suas moradias para receber os estrangeiros, e internamente é o momento de crescimento, são as oportunidades tanto para pequenas empresas, quanto para quem estiver visando abrir novos negócios, a movimentação docomércio, e demais empreendimentos, hotéis e bares saíram ganhando muito com isso, com muitas pessoas de fora estaríamos de certo modo movimentando a economia do país, além de termos os olhos de parte do mundo voltados para nós, com isso além das empresas internas, empresas de fora também poderão investir aqui mesmo que seja temporariamente, o ponto positivo é que as empresas sairiam ganhando e anação ganharia um certo capital com isso.
Por outro lado nos brasileiros temos uma certa preocupação em o Brasil receber a copa, em razão da segurança a nível nacional de não ser eficiente quanto deveria ser, Essa falha seria uma brecha para os assaltantes executarem grandes roubos e até mesmo sequestros, a questão da corrupção que é um câncer em nosso pais, as verbas não aplicadas corretamente,sempre há desvios e nunca se acham os culpados, isso acaba atrasando as obras e as superfaturando também.
Existe também a preocupação com toda essas construções de após copa não ficarem abandonadas, sendo consumidas pelo tempo, como vemos hoje isso acontecendo na Africa do Sul.

3-(REVISTA VEJA) O Brasil foi anunciado como o palco da Copa de 2014 em 30 de outubro de 2007. Três anos e nove mesesdepois, pairam preocupantes indefinições sobre as cidades-sede. Um exemplo emblemático do atraso e do improviso que têm dado o tom da preparação brasileira veio da principal cidade do país: somente há duas semanas São Paulo oficializou junto à Fifa seu estádio para o Mundial — a Arena Corinthians, que muito provavelmente receberá a abertura do torneio, e ainda é mero canteiro enlameado. A maiorparte dos estádios, que deveriam ser construídos com dinheiro privado, será erguida com financiamento público. Mais desoladora que o atraso nas arenas é a inércia que toma conta das obras de mobilidade urbana, cuja imensa maioria não saiu do papel. Também estão longe de decolar as reformas de nossos aeroportos, cujas taxas de ocupação em 2010 já indicavam um grau de saturação proibitivo. De nadaadiantará ter estádios modernos, em consonância com os padrões exigidos pela Fifa, se as mazelas de nossa infraestrutura não permitirem a jogadores, torcedores, turistas e autoridades deslocar-se pelo país. 
São Paulo
A maior e mais rica metrópole brasileira age como quem sabe ter seu lugar garantido na Copa de 2014, mas não se esforça para de fato merecê-lo. Tida como escolha óbvia para a abertura doMundial, a capital paulista entrou na berlinda em junho de 2010, quando a Fifa excluiu o estádio do Morumbi do torneio no Brasil — por motivos técnicos, financeiros e políticos. Todo o planejamento que vinha sendo conduzido pela prefeitura e pelo governo de São Paulo estava voltado para o estádio do São Paulo: não à toa, o principal projeto de mobilidade urbana da cidade ainda é um monotrilho queligará o Aeroporto de Congonhas à região do Morumbi. Em setembro, outro estádio foi oficializado como representante paulista na Copa: a nova arena do Corinthians, com 48.000 lugares, que seria construída em Itaquera, na Zona leste da cidade, orçada inicialmente em cerca de 330 milhões de reais. Para sediar o jogo de estreia do Mundial, o estádio corintiano precisa oferecer 65.000 lugares — o que...
tracking img