cooper

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 18 (4394 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de março de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto
213

DESEMPENHO DE ESCOLARES COM DISLEXIA
DO DESENVOLVIMENTO EM TAREFAS
FONOLÓGICAS E SILÁBICAS
Performance of students with developmental dyslexia
in phonological and syllabic tasks
Giseli Donadon Germano (1), Fábio Henrique Pinheiro (2), Simone Aparecida Capellini (3)

RESUMO
Objetivo: caracterizar o desempenho em tarefas fonológicas e silábicas de escolares com dislexia dodesenvolvimento e comparar estes achados com o desempenho de discentes com bom desempenho
escolar. Métodos: participaram do estudo 26 alunos de oito a 12 anos de idade, de ambos os sexos,
de 2ª. a 4ª. séries do Ensino Fundamental municipal na cidade de Marilia-SP, divididas em GI: composto por 13 escolares com dislexia atendidos no Centro de Estudos da Educação e Saúde – CEES/
UNESP e GII: composto por13 alunos com bom desempenho acadêmico, pareados segundo sexo,
idade e escolaridade com o GI. Como procedimento foi utilizada a Prova de Consciência Fonológica
– Instrumento de Avaliação Seqüencial – CONFIAS. Os resultados foram analisados estatisticamente
pelo Teste Mann-Whitney (comparação entre os grupos) e Teste dos Postos Sinalizados-Wilcoxon
(comparação entre as variáveis). Resultados:os resultados evidenciaram diferença estatisticamente
significante, sugerindo melhor desempenho do GII em relação ao GI quanto às tarefas fonêmicas e
silábicas. O GI apresentou diferença estatisticamente significativa nas tarefas silábicas e fonêmicas,
com melhor desempenho nas primeiras. Entre os escolares do GII não houve grande diferença estatística entre tarefas silábicas, apenas entretarefas fonêmicas. Conclusão: o estudo concluiu que
escolares com dislexia do desenvolvimento apresentam dificuldades quanto à identificação de rima
e produção de palavras com o som dado, apontando para um déficit em acessar os códigos e as
representações fonológicas.
DESCRITORES: Aprendizagem; Dislexia; Educação

 INTRODUÇÃO
Aprender a ler e a escrever em uma língua alfabética significa que acriança deve entender que as
Fonoaudióloga; Bolsista Coordenação de Aperfeiçoamento
de Pessoal de Nível Superior; Mestranda em Educação,
Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade
de Filosofia e Ciências da Universidade Estadual Paulista,
UNESP, Marília, SP.
(2)
Fonoaudiólogo; Mestrando em Educação, Programa de
Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Filosofia e
Ciências daUniversidade Estadual Paulista, UNESP, Marília, SP.
(3)
Fonoaudióloga; Docente do Departamento de Fonoaudiologia e do Programa de Pós-Graduação em Educação da
Faculdade de Filosofia e Ciências da Universidade Estadual Paulista, UNESP, Marília, SP; Doutora e Pós-doutoranda em Ciências Médicas pela Universidade Estadual de
Campinas.
Conflito de Interesses: Inexistente
(1)

pequenasunidades de fala, denominados fonema,
correspondem a letras. A consciência de que a língua é composta de pequenos sons é fundamental
para aprender a ler e produzir a escrita alfabética. A
proficiência em decodificação de palavras em segmentos menores tem relação com melhor desempenho futuro em leitura 1-4.
O sistema alfabético de escrita associa um componente auditivo fonêmico a um componente visualgráfico (correspondência grafofonêmica) e para a
compreensão do princípio alfabético são necessários três fatores: a consciência de que é possível
segmentar a língua falada em unidades distintas;
o conhecimento de que essas mesmas unidades
repetem-se em diferentes palavras faladas e a ciência das regras de correspondência entre grafemas
e fonemas. Destaca-se que os dois primeiros fatores sãoaspectos da consciência fonológica, e isto a
Rev. CEFAC. 2009 Abr-Jun; 11(2):213-220

214 

Germano GD, Pinheiro FH, Capellini SA

coloca como indispensável no desenvolvimento da
leitura e da escrita 5,6.
A World Federation of Neurology, em 1968,
definiu dislexia como sendo “transtorno de aprendizagem da leitura que ocorre, apesar de inteligência normal, de ausência de problemas...