Contrarazoes tac e tec

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1151 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DO 1º JEC DA COMARCA DE RECIFE /PE.






















Processo nº



, demandante já qualificada nos autos em epígrafe, por seu advogado infra-assinado, que move em função de BANCO BRADESCO FINANCIAMENTOS S/A, vem mui respeitosamente à presença de V. Exa., apresentar tempestiva CONTRA-RAZÕES ao RECURSO INOMINADO interposto emface da r. sentença ,o que faz com base nas razões de fato e de direito expostas nas páginas em anexo.

Nestes termos,
pede e espera deferimento.

Recife, 28 de janeiro de 2013.













Egrégio Tribunal de Justiça do Estado de Pernambuco.



CONTRA-RAZÕES AO RECURSO INOMINADO


|Recorrente:|
|Recorrida: |
|Juizado de Origem: |
|Processo:|


I – BREVE RESUMO DA LIDE


Afirma o autor que adquiriu veiculo financiado pela demandada, e que no ato da contratação foi exigido o pagamento de valores considerados abusivos, tais quais: Serviços de Concessionária/Lojista, Tarifa de Cadastro, Registro de Gravame e Tarifa de avaliação do bem. Pugna pela restituição em dobro dosvalores pagos.


Afirma a demandada que inexistiu vicio de vontade por parte do autor, que o mesmo sabia das tarifas cobradas no ato da contratação e desta forma teria anuído com as mesmas, tendo solicitado livremente tal financiamento, sem que houvesse má prestação de informação contratual.




II – DAS CONTRA-RAZÕESO presente recurso visa apenas procrastinar o feito, tendo em vista que o referido não traz em seu bojo qualquer informação que defira do alegado em sede de contestação, esta já apreciada pelo D. julgador e completamente vaga. Continua a demandada afirmar que inexistiu vicio de vontade por parte do autor, e que a mesmo sabia das tarifas cobradas no ato da contratação e que por esta razão seriamdevidas.

Pretende apenas justificar as atrocidades e abusividades da maneira como prestam os seus serviços, qual seja às custas dos consumidores, neste caso do autor, que pagou, por exemplo, a bagatela de R$ 4.171,80 (QUATRO MIL, CENTO E SETENTA E UM REAIS E OITENTA CENTAVOS) para pagamento por serviços realizados POR TERCEIROS. Pasme, Exa.! Os consumidorespagam TODOS os ônus da financeira em questão, uma vez que a prática da mesma é repassar para o consumidor todos os encargos decorrentes da contratação, como se verifica numa simples análise do contrato juntado nestes autos.


Tem –se que o contrato de financiamento em questão é um típico contrato de adesão, onde o consumidor não participa da confecção das cláusulas e,muitas vezes, não tem acesso aos termos, sendo informado pelo estabelecimento comercial, onde se realiza a negociação do veículo, apenas quanto ao valor da prestação a ser assumida, sem explicação clara e correta dos valores que estão sendo financiados, que, na maioria dos casos, se referem ao valor do veículo mais tarifas extravagantes embutidas no custo do contrato, de forma a majorar a taxa dejuros inicialmente prevista.


O consumidor tem direito a uma clara e precisa informação quanto aos valores que estão sendo financiados, o que repercute na prestação assumida, e tal informação não foi garantida no caso em questão.


A tarifa de cadastro não pode ser debitada na conta do consumidor, pois é ônus do fornecedor de crédito, no momento em que este procede...
tracking img