Contagem

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 26 (6431 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
AUTOMAÇÃO
EM
HEMATOLOGIA














ARTHUR FRANCISCO FORTES DRUMMOND



2006

SUMÁRIO



1. INTRODUÇÃO 2
2. CELL DYN MODELO 1700 – ABBOTT 6
3. CELL DYN 3700 – ABBOTT 9
4. CELL DYN – 3200 11
5. CELL DYN – 3200 “FLAGS” 14
6. CELL DYN 3500 / CELL DYN 3700 “FLAGS” 15
7. MENSAGENS INTERPRETATIVAS 20
8. CONTROLE DE QUALIDADE EM LABORATÓRIO HEMATOLÓGICO 21
9.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 25
ANEXO – HEMOGRAMA: VALORES DE REFERÊNCIA 28





1. INTRODUÇÃO






As primeiras contagens de células de sangue foram realizadas por VIERORDT em 1852; seu método foi modificado por CRAMMER em 1855, HAYEM e NACHET em 1875, GOWERS em 1877, ALFEROW em 1884; outras mudanças adicionais foram introduzidas por BURKER em 1905, em 1911 e em 1912 e porJUDSON em 1925, segundo referência de MAC FARLANE e cols, todas pelos métodos convencionais.
Um grande número de trabalhos foi apresentado para produzir, um instrumento automático capaz de contar células do sangue, e a literatura contém descrições e resultados de muitos aparelhos desenvolvidos para esse fim. Eles variam consideravelmente no princípio, modo de operação, complexidade e custo. Osprincipais vêm referidos a seguir:
MOLDAVAN, em 1934, sugeriu um método que baseava no princípio do fluxo-livre "flow-through", ou seja, uma suspensão de células era injetada num fluxo rápido de água, e as imagens dessas células separadas eram projetadas sobre um fotomultiplicador. De acordo com citações de TAYLOR e cols., LAGERCRANTZ, em 1947, foi o primeiro pesquisador a utilizar umaparelho eletrônico para contagem de células do sangue. Baseado no princípio sugerido por MOLDAVAN, desenvolveu um tubo fotomultiplicador extremamente sensível e utilizou iluminação em campo escuro. A partir dessa época, foram crescentes as utilizações de instrumentação automática para contagens de células do sangue. MAC FARLANE e cols., em 1950, estabeleceram um aparelho em que as imagens aumentadasdas células do sangue eram projetadas numa abertura de varredura, de largura conhecida, localizada na frente de um tubo fotomultiplicador. O aparelho contava 10.000 células em 2 minutos e o coeficiente de variação do método era de 2 a 2,5%. Em 1953, TAYLOR e cols., estabeleceram um aparelho que possuía 4 partes distintas:
a) uma câmara de contagem, na qual as células eram alinhadas em umasimples fila, montada em um eixo ótico de um microscópio de fundo escuro. As imagens das células passavam através da câmara e eram projetadas num fotomultiplicador;
b) um filtro e um circulador de água, que fornecia constante fluxo líquido para a câmara de contagem;
c) uma micro pipeta, que fornecia volume conhecido de suspensão de células para o interior da câmara de contagem;d) um aparato eletrônico, constituído de fotomultiplicador, amplificador e escala digital. Esse aparelho efetuava a contagem de eritrócitos e de leucócitos em 10 segundos, com uma precisão de + ou - 2,1% para eritrócitos e de + ou - 9,0% para leucócitos.
BRECHER e cols., em 1956, desenvolveram um aparelho eletrônico em que as células do sangue suspensas numa solução de cloreto de sódiopassavam por uma pequena abertura, conduzindo corrente elétrica entre eletrodos de platina. Os pulsos resultantes eram amplificados, contados automaticamente e imediatamente registrados num osciloscópio. O sistema incluía ainda uma bomba aspiradora para retirar a suspensão de células, e uma coluna de mercúrio calibrada para 0,5 ml. Foi observado um aumento de 3 a 4 vezes na precisão, quando secomparavam as contagens de células realizadas por esse método com as contagens hemocitométricas, além de redução da fadiga do operador e de 1/3 do tempo requerido para as contagens visuais.
Idêntico sistema foi apresentado por MATTERM e cols., em 1957, com excelente reprodutibilidade, e, Coulter, como referem MAC FARLANE e cols., reproduziu o aparelho, cujo princípio é básico em todos os...
tracking img