Contabilidade fiscal x gerencial

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 19 (4653 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
CONTABILIDADE FISCAL X CONTABILIDADE GERENCIAL

`

Resumo
O presente trabalho apresenta os resultados alcançados em um estudo de caso realizado no escritório de contabilidade Razão, que teve como objetivo pricipal apurar quais os tipos de serviços que o escritório presta a seus clientes, classificar os mesmos em gerenciais ou fiscais e identificar algumas tendências para a prestação deserviços no escritório de contabilidade. As principais ferramentas utilizadas para a pesquisa foram uma planilha para levantamento de dados e um questionário aplicado ao gerente do escritório, instrumentos com os quais foi possível atingir os propósitos principais deste trabalho. Concluiu-se que os principais serviços prestados no escritório Razão são os de escrituração contábil, escrituração delivros fiscais e serviços de folha de pagamento, apurou-se ainda que para 98,80 porcento dos clientes são prestados serviços clasificados como de contabilidade fiscal e para1,20 porcento dos clientes são prestados serviços de contabilidade gerencial. Foi constatado também que no tocante as tendências para a prestação de serviços no escritório Razão, não são esperadas mudanças significativas apesar dealterações na legislação tributária estarem acontecendo, e que o escritório irá manter o seu foco nos tipos de serviços que vem praticando.

Palavras-chave: Contabilidade Fiscal, Contabilidade Gerencial, Legislação, Serviços Contábeis.

1 - INTRODUÇÃO

O trabalho nos escritórios de contabilidade, no tocante à escrituração fiscal, resume-se principalmente ao preenchimento dos livros edemonstrações fiscais exigidas pelos diferentes órgãos de fiscalização e arrecadação dos governos federal, estadual e municipal. Apesar da evolução e das maiores facilidades na elaboração desses demonstrativos fiscais trazidas pelo uso da informática, os escritórios contábeis ainda tem muito trabalho com eles, pois são muitos, e regidos por legislações complexas que mudam a todo momento, exigindomuita atenção e acompanhamento dessas mudanças na hora de elaborá-los.
Sabe-se que as empresas, principalmente as micros e as pequenas empresas, não costumam manter e operar no próprio estabelecimento um sistema informatizado que gere esses informativos. Isso acontece principalmente porque elas não tem condições financeiras de pagar um sistema, ou ainda, não querem manter um sistema na empresapor causa da fiscalização mais rigorosa (transmissão de arquivo magnético das operações da empresa para a receita estadual), e também não tem pessoal preparado para efetuar esses registros fiscais, que devido as confusas e excessivas normas que norteiam os vários tributos que incidem sobre as operações da empresa, tornam-se complicados de se fazer.
O atual modelo tributário no Brasil reflete umsistema extremamente burocrático que impõem aos empreendedores e principalmente aos contadores, a aplicação de uma grande parcela de tempo para atender às exigências das autoridades fiscais em suas milhares de normas e regulamentos. Isso na prática, significa tirar do empresário e mais ainda do contador grande parcela da dedicação que deveria ser colocada na atividade fim da empresa. Ocorre,portanto, um verdadeiro entrave para o desenvolvimento das empresas, dos serviços contábeis e conseqüentemente do país se comparado aos demais países no atual mundo integrado e globalizado.
Em reportagem publicada na revista Exame neste ano, Dweck (2006, p. 38) nos traz a informação de que no tocante a burocracia, o Brasil é um dos piores países do mundo para fazer negócios de acordo com o rankingdivulgado anualmente pelo Banco Mundial, estando à frente apenas de nações paupérrimas, como Haiti e Angola.
Na tentativa de diminuir todos esses entraves criados pela tributação exagerada e caótica, no Brasil já há algum tempo discute-se a reforma tributária; é bem verdade que muito pouco ou nada tem sido feito para diminuir realmente a carga tributária, que no primeiro semestre de 2006 atingiu o...
tracking img