Contabilidade analitica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 29 (7026 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
A CONTABILIDADE ANALÍTICA, ESTUDOS PREVISIONAIS E FORMAÇÃO NO SÉCULO XXI Jorge São Marcos Paulo Naia Universidade de Aveiro - Portugal Comunicación presentada en el I Encuentro Iberoamericano de Contabilidad de Gestión (Valencia – Noviembre 2000) 1. A CONTABILIDADE ANALÍTICA EM PORTUGAL 1.1 Situação Actual

A Contabilidade Analítica incide prioritariamente na valorização dos fenómenos internosempresariais, preocupando-se com o registo de encargos e proveitos por função, por actividades e pelos produtos. Em Portugal, durante muitos anos a Contabilidade Analítica foi denominada Contabilidade de Custos, pois o registo dos custos por função, actividade e produtos, a sua análise, controlo e previsão foi e, contínua a ser, o “núcleo duro” da Contabilidade Analítica, na generalidade dasempresas que a implementaram. Aliás, nas considerações técnicas do actual Plano Oficial de Contabilidade (POC) Português, aprovado em finais de 1989, diz-se: “É cada vez maior o número de empresas que implementam subsistemas contabilísticos de contabilidade interna, analítica ou de custos” (Decreto-Lei nº 410/89). Actualmente, já se começa a utilizar o conceito e a denominação de Contabilidade deGestão, contudo mais nos meios académicos. A Contabilidade de Gestão seria um desenvolvimento da Contabilidade de Custos, numa óptica mais globalizante; será uma informação para a administração das unidades empresariais, não incidindo apenas nos custos, mas também nos proveitos, e nas massas patrimoniais. Evidentemente, que esta evolução na generalidade das empresas portuguesas que implementaram umaContabilidade Interna não é uma realidade. No tecido empresarial português é importante começar a generalizar-se a implementação da Contabilidade Analítica. Por isso as obras actuais que falam na Contabilidade de Custos ou Analítica dizendo que é tradicional, e dando relevo à Contabilidade de Gestão, têm por base muitas vezes a evolução vivida nas fortes empresas Norte Americanas, Japonesas e dospaíses mais desenvolvidos na União Europeia. O horizonte temporal da Contabilidade Analítica tem vindo a incidir em factos passados. Porém, esta contabilidade, dado estar cada vez mais ligada à contabilidade de custos e de proveitos pré – determinados, passou a ter um novo horizonte temporal mais próximo da actualidade, visto ter de se preocupar constantemente com desvios entre factos verificados eregistados e previsões efectuadas. A Contabilidade Analítica pretende atenuar as insuficiências da Contabilidade Geral, também denominada Contabilidade Financeira, enquanto utensílio de gestão. Por outras palavras, a Contabilidade Geral embora sendo essencial, sendo imprescindível, para se levar por diante uma
1

gestão racional, carece de operacionalidade na planificação, no controlo e natomada de decisões pelos gestores e empresários. A Contabilidade Geral não possibilita as informações relativas às funções internas desenvolvidas nas unidades económicas, nem com a assiduidade que cada vez mais se exige. Contudo, como foi dito, a Contabilidade Geral é fundamental para a gestão da empresa, pois permite analisar a evolução do seu património e determinar o resultado conseguido pelasactividades desenvolvidas. Mas a informação específica sobre a produção, os custos, proveitos imputáveis às diferentes funções, departamentos, secções, postos de trabalho e sobre o processo produtivo, são fornecidas pela Contabilidade Analítica de Exploração. Com o progressivo crescimento, diversificação e especialização das tarefas realizadas dentro das unidades empresariais durante os últimos anos deintensa internacionalização de capitais, a Gestão passa a sentir uma maior necessidade em conhecer rapidamente a pormenorização dos custos. E “una de las funciones básicas de la Contabilidad de Gestión, consiste en controlar los costes y la producción para que la gerencia pueda identificar las áreas problemáticas y adopte, si procede, acciones correctoras” (AECA, 1996, p. 101). Porém, este...
tracking img