Conjuntura socioeconomica do to

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 19 (4645 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Num contexto de desenvolvimento desigual e combinado do capitalismo e de áreas de recente amadurecimento das relações plenamente capitalistas, as conseqüências da globalização são percebidas de forma trágica e com características do que há de mais injusto e estúpido na sociedade brasileira. Este é o caso do Tocantins.

No Tocantins, as idéias que orientam a maioria das administrações (estaduale municipais) ainda são o clientelismo e a subordinação aos interesses das oligarquias locais. É importante notar que mesmo os governos municipais tendo um papel extremamente limitado, restringindo-se suas responsabilidades às pequenas obras de infra-estrutura, conservação de ruas e estradas, praças etc., a tradicional política assistencialista e eleitoreira tem um peso significativo e decisivo namanutenção dos setores políticos conservadores.

A falta de instrumentos políticos de participação da sociedade civil na definição das políticas públicas é uma outra característica do Estado. E isso gera a falta de experiência de participação e de discussão sobre políticas públicas, ainda um dos grandes limites à instituição de um processo realmente participativo de construção da cidadania e devalorização dos direitos humanos.

A população do Tocantins hoje é marcada pela pobreza, desemprego, concentração de renda, trabalho escravo, falta de perspectiva econômica, violência, exclusão social, injustiça e conservadorismo político. Esse quadro fica bem evidente quando constatamos o alto grau de homogeneidade ideológica e articulação da elite local com o projeto político e econômicoimplementado pelo governo federal, que não leva em conta a maioria do povo tocantinense, não gera emprego, provoca o arrocho salarial e exarceba as péssimas condições de vida.

Os que vivem hoje na base da pirâmide social tocantinense são prisioneiros das péssimas condições de vida e de uma realidade social que lembra alguns países asiáticos e africanos. Isto é facilmente constatado quandoanalisamos pesquisas sobre a renda per capita, que demonstram que no Tocantins a média da renda familiar é de R$ 400,00. Ou estudos da Receita Federal, com base na arrecadação do imposto de renda de pessoas físicas, que demonstram que no Tocantins apenas 14.7% da população teria renda igual ou acima de R$ 2.500,00 por mês.

Estas e outras pesquisas na verdade indicam que cerca de 85% da população sãopobres e padecem enormes dificuldades de reprodução de vida com um mínimo de qualidade. É exatamente por isso que a pobreza tocantinense não pode ser vista apenas como falta de renda, situação que atinge mais de 50% da população que fica abaixo da média nacional. Aqui se deve incluir também muitos desempregados permanentes, aposentados, mulheres que educam sozinhas seus filhos, famílias com proleextensa, deficientes físicos, desabrigados, estudantes, trabalhadores rurais e até muitas famílias de classe média que enfrentam um alto custo de vida e muitas dívidas. É nesse sentido que as políticas públicas tornam-se um elemento estratégico e fundamental para assegurar a qualidade de vida

Os políticos tocantinenses freqüentemente negam o alto índice da pobreza no Estado, pois dessa forma épossível fechar os olhos ao fato de haver milhares de pessoas vivendo à margem da sociedade. Além disso, esta atitude permite a reprodução de um tipo de política baseada no clientelismo, na manipulação e no controle patriarcal de imensas parcelas da sociedade.

Mas a verdade é que, a despeito de todas as promessas e ilusões ideológicas e de todo auto-engano, a decadência é real e o desrespeitoaos direitos humanos torna-se cada vez mais claro. Para destacar aqui apenas alguns aspectos deste triste quadro social, analisaremos apenas a situação da saúde pública, do desemprego e da violência.

A saúde pública no Tocantins continua permitindo a morte sem assistência de recém nascidos, adultos, jovens, idosos. Dados de 2005 indicam que a mortalidade era de 2,72 por 1.000 . Já os dados...
tracking img