Conhecimento tacito e explicito

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2805 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
O que entendemos exatamente por conhecimento tácito e conhecimento explícito, publicado na SBGC, http://www.sgbc.org.br/

O que entendemos exatamente por Conhecimento Tácito e Conhecimento Explícito
Informação, Conhecimento, e percepção. Filipe M. Cassapo, filipe.cassapo@fiepr.org.br Definir e qualificar o conhecimento: o “explícito” e o “tácito”. Em toda boa palestra ou artigo pretendendointroduzir o tema Gestão do Conhecimento, o autor sempre sente como um dever incontornável entregar-se ao dificilíssimo exercício de definir o objeto que pretenderá gerenciar: o conhecimento. Os resultados deste exercício são geralmente relativamente variados em função da própria experiência do autor, e dos seus objetivos. Algumas definições, como “o conhecimento é uma crença verdadeira justificada”(Platão), relevam mais da filosofia, podendo ser encontradas com algumas variantes como “o conhecimento é um processo humano dinâmico de justificar a crença pessoal com relação à verdade” (Nonaka & Takeuchi [1]). Outros autores acabam sendo mais pragmáticos, propondo definições como “o conhecimento é a capacidade para a ação efetiva” (Peter Senge [3]). As definições pragmáticas possuem a grandevantagem de direcionar as iniciativas de Gestão do Conhecimento para ações operacionalmente claras e objetivas: gerenciar o conhecimento da organização, de forma pragmática, será, por exemplo, gerenciar a sua capacidade de agir. Sendo que esta ação é geralmente guiada por uma série de objetivos concretos, medíveis, e derivados da estratégia organizacional, entender-se-á rapidamente a importância devincular uma iniciativa de Gestão do Conhecimento a estratégia corporativa e seus instrumentos de representação e direcionamento, como, por exemplo, o Balanced Scorecard. Cabe ressaltar que as definições mais filosóficas não são nem um pouco desprovidas de interesse! A percepção do conhecimento como “crença verdadeira justificada” traz com ela o fundamental entendimento de que o conhecimento é ofato do ser cognitivo (para o nosso objetivo de gerenciar o conhecimento organizacional: o fato dos colaboradores da organização). Em outras palavras, uma abordagem filosófica acrescente a seguinte importante consideração: não existe conhecimento sem a pessoa que o detém. Surge então a clássica vontade de querer diferenciar dois tipos de conhecimento: o conhecimento de tipo “tácito”, e oconhecimento de tipo “explícito”, conforme realizado por Nonaka e Takeuchi [1]. Definam-se então estas duas entidades basicamente da seguinte forma: - O conhecimento tácito é muito pessoal e difícil de ser codificado, ou seja, expresso por palavras. Por essência, é prático e é geralmente fruto de uma longa Filipe Cassapo, filipe@fnq.org.br

O que entendemos exatamente por conhecimento tácito econhecimento explícito, publicado na SBGC, http://www.sgbc.org.br/

experiência, de uma convivência. Sua transmissão é extremamente complexa pois necessita interações prolongadas, acertos e erros. Tipicamente, um conhecimento tácito seria “saber dirigir uma bicicleta”. - O conhecimento explícito é geralmente qualificado de “objetivo” e mais simples de ser codificado, ou seja, formalizado com palavras,números e fórmulas, para ser transmitido rapidamente e em grande escala. Geralmente, é percebido como teórico e sua transmissão pode ser realizada muito formalmente. Tipicamente, um conhecimento explícito seria o cálculo da velocidade conhecendo a distância percorrida e o tempo de percurso: V = D / T. Para completar estas definições dos tipos de conhecimento, cabe geralmente apresentar o famosodiagrama de conversão tácito / explícito, e a não menos famosa espiral do conhecimento:

Nesta espiral de criação e disseminação do conhecimento, podemos rapidamente apresentar as quatro formas de conversões: • A socialização é a transmissão imediata (no senso próprio do termo: sem mídia) do conhecimento tácito de um indivíduo para um outro indivíduo. Fala-

Filipe Cassapo, filipe@fnq.org.br...
tracking img