Conflitos e suas soluçoes

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 18 (4474 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Módulo VI - Formas Não-Violentas de Resolução de
Conflitos
ITS Brasil
1
Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República
2
Primeiras Palavras
Minha Alma (A paz que eu não quero), O Rappa
A minha alma está armada
e apontada para a cara do sossego
pois paz sem voz
não é paz é medo (medo)
às vezes eu falo com a vida
às vezes é ela quem diz
qual a paz que eunão quero conservar
para tentar ser feliz
Orientações gerais
A partir deste módulo, vamos nos debruçar sobre as formas de enfrentar
as diversas violações, abordando alguns processos de intervenção pacífica na
resolução de conflitos e, na prática, como você pode se tornar um mediador de
conflitos em sua comunidade. Antes de falarmos da mediação propriamente dita,
apresentaremos brevepanorama das diversas formas não-violentas de enfrentar os
conflitos, seguido de estudo das principais estratégias e processos envolvidos.
Assim, espera-se que esta “metodologia” ajude-nos a romper certas
resistências culturais de um imaginário coletivo forjado nos princípios da disputa,
rivalidade e uso abusivo do poder; que possa ser útil na redução da violência e na
solução pacíficados conflitos.
BOM TRABALHO!

1
Babette Mendoza, Dário Ferreira Sousa Neto, Edison Luís dos Santos, Edna de Souza Rocha, Eliane
Costa Santos (Liu Onawale), Irma Passoni, Jesus Carlos Delgado Garcia, Lívia Cruz, Marcelo Elias de
Oliveira, Marcio Kameoka, Roberto Maurício Genofre e Daniel Siebel (colaborador).
2
Paulo Vannuchi,Perly Cipriano, Erasto Fortes Mendonça, Adeyde Maria Viana, Marina Kumon.
11. Conflitos
“… o conflito em si só é potencialmente transformativo: ou seja,
a argúcia oferece aos indivíduos a oportunidade de desenvolver e
integrar suas capacidades de força individual e empatia pelos
outros […]”.
(FOLGER & BUSH, 1999, p. 85)
Já discorremos nos primeiros módulos sobre o que é conflito etambém
mencionamos algumas formas não-violentas de enfrentá-los. Só para lembrar:
O conflito é parte da condição humana: não é sempre bom ou sempre
ruim. Mas todo conflito traz consigo a possibilidade de mudança e transformação,
seja para duas pessoas, uma comunidade ou vários países. Se as mudanças serão
para melhor ou para pior, isso dependerá naturalmente da forma como serãoencarados os conflitos e, principalmente, de que modo serão resolvidos.
1.1. Formas de encarar conflitos
3
Cada pessoa encara o conflito do seu próprio jeito: depende da maneira
como foi educada, do que está acontecendo à sua volta, do que está em jogo e até
do seu humor. Ou seja, cada pessoa pode reagir frente ao mesmo problema de
muitas maneiras diferentes, de acordo com o seu ponto de vista.Para entender e
mediar conflitos, é preciso atentar para os diferentes modos de agir, fazendo com
que as pessoas envolvidas experimentem se colocar no lugar do outro.
Antes de abordar os diferentes modos de agir, vamos expor algumas das
reacções que as pessoas têm quando encaram um conflito. Veja se você se identifica
com alguma delas:
• EVITAÇÃO
Este tipo de atitude é próprio daspessoas que procuram evitar o conflito.
Diante de uma situação de conflito, o ato de evitá-lo pode ter efeitos positivos ou
negativos. O efeito é negativo quando o ato de evitar vem acompanhado da
desesperança diante da situação que se coloca. Estas pessoas dizem: “– Isso não

3
Texto adaptado da obra: VV.AA. Guia de mediação popular,Salvador: Juspopuli, 2007.
2tem jeito mesmo!”; “– O que não tem remédio, remediado está!”; “– Deus dá o frio
conforme o cobertor!”. É o que chamamos, no módulo 2, de passividade. Só para
exercitar a memória, pare e pense: quantas vezes, durante o período eleitoral, você
não ouve as pessoas dizerem: “– Vou votar em qualquer um, pois não vai mudar
nada mesmo...”. Essa é uma atitude negativa de...
tracking img