Conflitos no oriente médio

INTRODUÇÃO


Os conflitos no Oriente Médio têm diferentes motivos. O principal deles é o território: israelenses e palestinos lutam para assegurar terras sobre as quais, segundo eles, têm direito milenar. Outra questão é a cultural e a imposição de valores ocidentais às milenares tradições orientais. Pode-se ainda mencionar o fator econômico - talvez o principal: países ricos capitalistase a mais rica região petrolífera do planeta.
As brigas perduram há séculos. Expulsos da Palestina pelos romanos já no século I d.C., os judeus têm o sonho de retornar à "Terra Prometida", enfrentando todo tipo de discriminação e perseguição. Mas, o território, durante sua ausência, foi ocupado por outros povos que, igualmente, sentem-se no direito de nele permanecer.
Em 14 de maio de1948, uma resolução da ONU dividiu o território da Palestina entre árabes e judeus, criando o Estado de Israel.
Todos os regimes árabes da época rejeitaram a criação de Israel, e prometeram destruir o novo Estado judeu. Era o começo do conflito que já dura mais de 50 anos.
















































1. ORIGEM DOS CONFLITOSCom o fim da Primeira Guerra Mundial e a vitória sobre o Império Otomano, os britânicos passaram a controlar a região da Palestina ou “Terra Santa”. Durante o domínio britânico sobre a região, os ingleses permitiram a compra de terras na Palestina por ricos judeus de todo mundo que começaram a reocupar a região.
Os ingleses após a Primeira Guerra Mundial, comprometeram-se a ajudar osjudeus a construir um Estado livre e independente em território palestino, buscando, assim, enfraquecer os árabes e conquistar vantagens econômicas na região. Entre os anos 1930 e 1940, intensificou-se consideravelmente a imigração judaica para a Palestina. A maciça migração de judeus para a Terra Santa chamou-se sionismo, em referência à Colina de Sion, em Jerusalém.
O descontrolado ingressode judeus na Palestina trouxe sérios problemas já na Segunda Grande Guerra Mundial. As áreas de assentamento judeu e palestino não foram delimitadas e grupos de culturas e religiões tão diferentes tiveram que compartilhar o mesmo território, de onde resultam graves hostilidades entre ambos.
Com o holocausto (morte de muitos judeus) promovido pelos nazistas durante a Segunda Guerra, a opiniãopública, sensibilizada com os sofrimentos dos judeus, concordou com a criação de um Estado judeu na Palestina. A ONU estabeleceu que a solução para os problemas do Oriente Médio seria prioridade, apoiada pelos Estados Unidos e da Inglaterra, interessados em estabelecer um aliado na região, já que não confiavam nos Estados árabes que a cercavam. Os palestinos, por sua vez, também acreditavam nacriação de um Estado independente em território palestino e, para isso, contavam com o apoio dos países árabes.
Após uma série de conflitos entre árabes, judeus e ingleses, a ONU aprova a criação de um Estado judeu e em 14 de maio de 1948 deu-se o fim do mandato dos britânicos na região.
Com a retirada das tropas britânicas que ocupavam a região, começou, em 1948, uma guerra entre Israel e aLiga Árabe, criada em 1945 e que reunia Estados Árabes que procuravam defender a independência e a integridade de seus membros. A guerra foi liderada pela Jordânia e pelo Egito. Israel venceu o conflito e ocupou áreas reservadas aos palestinos, ampliando para 75% o domínio sobre as terras da região. O Egito assumiu o controle sobre a Faixa de Gaza e a Jordânia criou a Cisjordânia.
Esta primeiraguerra criou um dos mais complicados problemas para a paz na região: um imenso número de palestinos refugiados. Já na época eles eram mais de 300 mil. Os palestinos, árabes que viviam na região antes da criação do Estado de Israel, ficaram sem uma nação. Muitos fugiram para o Líbano, ao norte, para Gaza, ao sul, ou para a Jordânia, a leste, região hoje conhecida como Margem Ocidental....
tracking img