Conectivismo e teoria do livre arbítrio

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2123 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
LEANDRO CAVALCANTI DE ARAÚJO

CONECTIVISMO E A TEORIA DO LIVRE ARBÍTRIO

Trabalho apresentado a matéria de Aprendizagem em Contextos Educacionais no Curso de Educação Física da Universidade Católica de Brasília como requisito parcial para aprovação da matéria.

Brasília – DF
2011

“Imagine um mundo onde todo mundo estáaprendendo constantemente, um mundo onde o que você quis saber era mais interessante do que aquilo que sabia, e a curiosidade conta mais do que o conhecimento certo. Imagine um mundo onde o que você deu foi mais valioso do que o que fora retido, onde a alegria não é uma palavra suja, onde o jogo não foi proibido após o seu décimo primeiro aniversário. Imagine um mundo em que o negócio dosnegócios é imaginar as pessoas em mundos que querem realmente viver um dia. Imagine um mundo criado pelo povo, para o povo que não perecerá na terra para sempre.
Sim. Imagine isso.”

Christopher Locke
O Trem das Evidências( The Cluetrain Manifesto)http://www.cluetrain.com/book/post-toasties.html

CONECTIVISMO E A TEORIA DO LIVRE ARBÍTRO

LEANDRO CAVALCANTI DE ARAÚJO

Resumo:
Em um mundo aonde nossas vidas dependem quase que totalmente das tecnologias, estão surgindo novas formas de aprendizados. O conectivismo vem como uma idéia de George Siemens para facilitar o aprendizado e com isso demonstrar a humanidade que o conhecimento está à sua frente,basta saber procurá-lo. Assim foi criada uma nova teoria embasada no conectivismo, a Teoria do Livre Arbítrio, que visa mostrar uma lista de conhecimentos possíveis a serem aprendidos, mas que o indivíduo possa ter a oportunidade de escolher em que momento adquirir o mesmo, facilitando assim seu aprendizado, pois só se aprende aquilo que se tem interesse.

Palavras-Chave: Conectivismo,Aprendizado, educação virtual, livre-arbítrio.

I – Introdução

Em Outubro de 2003, George Siemens manifestou sua preocupação em relação a grande mudança que estava ocorrendo nos diferentes campos de conhecimento e o fator dos cursos em si não estarem acompanhando tal mudanças e que necessitamos de uma resposta para tais mudanças de forma a atender às necessidades do aluno.“What we know is less important than our capacity to continue to learn more. The connections we make (between individual specialized communities/bodies of knowledge) ensure that we remain current. These connections determine knowledge flow and continual learning (…) To remain relevant, education needs to align with the needs of learners and the changing climate of work. Courses are not effectivewhen the field of knowledge they represent is changing rapidly. We need to respond to these changes in a way that meets learner's needs and that reflects the reality of knowledge required in the work force.” (Siemens, 17-10-2003)
Diante do fato de as teorias de aprendizagem existentes serem insuficientes para compreender as novas características do indivíduo aprendiz do século XXI, Siemenspropõe uma nova teoria.
“Connectivism is the integration of principles explored by chaos, network, and complexity and self-organization theories. Learning is a process that occurs within nebulous environments of shifting core elements – not entirely under the control of the individual. Learning (defined as actionable knowledge) can reside outside of ourselves (within anorganization or a database), is focused on connecting specialized information sets, and the connections that enable us to learn more are more important than our current state of knowing.” (Siemens, 12-12-2004)
Diferente do Behaviorismo, Construtivismo ou Cognitivismo, no Conectivismo a aprendizagem pode estar fora do indivíduo de forma que mesmo sem ter domínio em certos assuntos pode agir perante...
tracking img