Condutmetria

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2775 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA
INSTITUTO DE QUÍMICA
DIVISÃO DE QUÍMICA ANALÍTICA
DISCIPLINA: LABORATÓRIO DE ANÁLISE INSTRUMENTAL
PROFESSOR: Dr. Jez B. Braga
TURMA: A
Alex Malüe Machado 12/0108500
Carlos Alberto S. de França 09/91384

EXPERIMENTO II - CONDUTOMETRIA
Determinação do teor de ácido acetilsalicílico em tabletes

Brasília, 12 de novembro 2012

INTRODUÇÃO
Figura 01:aparato de titulação volumétrica
As titulações são amplamente utilizadas em química analítica para determinar ácidos, bases, oxidantes, redutores, íons metálicos, proteínas e muitas outras espécies. As titulações são baseadas em uma reação entre o analito e um reagente padrão conhecido como titulante. A reação é de estequiometria conhecida e reprodutível. O volume, ou a massa, do titulante,necessário para reagir completamente com o analito, é determinado e usado para obter a quantidade do analito. Em uma titulação baseada em volume, figura 01, a solução padrão é adicionada de uma bureta e a reação ocorre em um frasco Erlenmeyer.


Em qualquer titulação, o ponto de equivalência química,experimentalmente chamado ponto final, é assinalado pela variação da cor de um indicador ou da resposta de um instrumento. Neste sentido o presente experimento utiliza-se da condutometria, como método instrumental para determinar a concentração do analito de interesse.
A técnica mede a condutância elétrica de soluções iônicas. Ordinariamente, a condução da eletricidade através das soluções iônicas sedá à custa da migração de íons positivos e negativos com a aplicação de um campo eletrostático. Sob a influência de um potencial aplicado, os íons em uma solução são quase instantaneamente acelerados em direção ao elétrodo de carga oposta, mas a velocidade de migração dos íons é limitada pela resistência do solvente ao movimento das partículas. A velocidade de migração dos íons se relacionalinearmente com a força eletromotriz (fem) aplicada; as soluções de eletrólitos obedecem à lei de Ohrn , isto é, a corrente i é diretamente proporcional à força eletromotriz E e inversamente proporcional à resistência R do meio. Nas condições em que é necessário um potencial Ed (potencial de decomposição) para vencer os efeitos de polarização dos elétrodos, a forma aplicável da lei de Ohrn é: i= E-EdR
Aresistência de uma solução iônica, como no caso dos condutores metálicos depende da natureza e das dimensões do condutor. A resistência R de um condutor uniforme é diretamente proporcional ao seu comprimento L e inversamente proporcional à área da seção transversal A:
R= ρ∙LA
A figura 2 mostra esquematicamente a condutância como função da concentração e da geometria da célula. A constante deproporcionalidade ρ é a resistência específica do material, isto é, a resistência oferecida por um cubo do material, com um centímetro de aresta, entre faces opostas; como R é dado em ohms, a unidade de ρ é Ω∙cm. A condutância (L) de um material é definida como o inverso da resistência, isto é L= 1R ; a unidade de condutância é, pois, o inverso do ohm (ohm-1) e chama-se siemens (S). A definição decondutância permite escrever-se:
(L)= Aρ∙l=k∙Al=siemens
Em que k (o inverso da resistência específica) é a condutância especifica com unidades ohm-1, cm-1 ou S.cm-1. A resistência e a condutância variam com a temperatura. A condutância de uma solução iônica depende do número de íons presentes, bem como das cargas e das mobilidades dos íons. Abaixo temos uma representação esquemática de algumascélulas condutimétricas na figura 3.
Figura 02: Modelo esquemático de condutância como função da concentração e da geometria da célula

figura 03: modelos de células de condutância

A condutometria abrange duas técnicas analíticas: a condutometria direta e a titulação condutométrica. Na primeira mede-se a condutância com vistas à avaliação da concentração de um eletrólito. Tem aplicação...
tracking img