Concreto

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1112 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade Estadual de Londrina Centro de Tecnologia e Urbanismo Departamento de Estruturas
,

5 TRU 028 – CONSTRUÇÕES EM CONCRETO ESTRUTURAL

Ações nas Estruturas

RESISTÊNCIAS DE CÁLCULO DO CONCRETO E DO AÇO

f cd =

f ck γc

f yd =

f yk γs

Valores dos coeficientes de segurança γc e γs dos materiais.
Combinações Normais Especiais ou de construção Excepcionais Concreto (γc)1,4 1,2 1,2 Aço (γs) 1,15 1,15 1,0

AÇÕES NAS ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO
NBR 6118 - Projeto de estruturas de concreto – Procedimento. NBR 8681 Ações e segurança nas estruturas – Procedimento.

Ações: “causas que provocam o aparecimento de esforços ou deformações nas estruturas.” Forças (ações diretas). Deformações impostas (ações indiretas) são aquelas oriundas de variações detemperatura, retração e deformação lenta (fluência) do concreto, recalques de apoio, etc. Classificação: excepcionais. permanentes, variáveis e
3

1

AÇÕES PERMANENTES
São as que ocorrem com valores praticamente constantes durante toda a vida da construção.

Ações Permanentes Diretas
São constituídas pelo peso próprio e pelos pesos dos elementos construtivos fixos e das instalações permanentes.Peso Próprio
Massas específicas: - concreto simples: 2.400 kg/m3 - concreto armado: 2.500 kg/m3
4

Ações Permanentes Indiretas
São constituídas pelas deformações impostas por retração e deformação lenta (fluência) do concreto, deslocamentos de apoio, imperfeições geométricas e protensão.

AÇÕES VARIÁVEIS
São aquelas que variam ao longo do tempo.

5

Ações Variáveis Diretas
Sãoconstituídas pelas cargas acidentais, pela ação do vento e da chuva. Cargas acidentais são as “Ações variáveis que atuam nas construções em função de seu uso (pessoas, mobiliário, veículos, materiais diversos, etc.).” Na tabela 2 da NBR 6120 constam os valores mínimos a serem adotados para as cargas acidentais.
6

2

Ação do Vento
“Os esforços devidos à ação do vento devem ser considerados edeterminados de acordo com o prescrito pela NBR 6123, permitindose o emprego de regras simplificadas previstas em Normas Brasileiras específicas.”

7

Ações Variáveis Indiretas Variações Uniformes de Temperatura

A variação da temperatura da estrutura, causada pela variação da temperatura da atmosfera e pela insolação direta, é considerada uniforme. Ela depende do local de uniforme. implantaçãoda construção e das dimensões dos elementos estruturais que a compõem. compõem.

8

AÇÕES EXCEPCIONAIS
“As que têm duração extremamente curta e muito baixa probabilidade de ocorrência durante a vida da construção, mas que devem ser consideradas nos projetos de determinadas estruturas... Consideram-se como excepcionais as ações decorrentes de causas tais como explosões, choques de veículos,incêndios, enchentes ou sismos excepcionais.”

9

3

COEFICIENTES DE PONDERAÇÃO DAS AÇÕES
As ações devem ser majoradas pelo coeficiente γf . O valor do coeficiente de segurança das ações é dado por:

γf = γf1 γf2 γf3

10

Coeficientes de Ponderação das Ações no Estado Limite Último (ELU)
“Quando se consideram estados limites últimos, os coeficientes γf de ponderação das ações podem serconsiderados como o produto de dois outros, γf1 e γf3 . O coeficiente parcial γf1 leva em conta a variabilidade das ações e o coeficiente γf3 considera os possíveis erros de avaliação dos efeitos das ações, seja por problemas construtivos, seja por deficiência do método de cálculo empregado”.
11

Coeficiente γf = γf1 . γf3
Combinações de ações Normais Especiais ou de construção ExcepcionaisAções Variáveis Protensão (q) (p) G T D F 1,4 1,2 1,2 0,9 1,2 1,0 1,2 0,9 1,0 0 1,2 0,9

Permanentes (g) D F 1,41) 1,0 1,3 1,0 1,2 1,0

Recalques de apoio e retração D F 1,2 0 1,2 0 0 0

Onde: D é desfavorável, F é favorável, G é geral, T é temporária. 1) Para as cargas permanentes de pequena variabilidade, como o peso próprio das estruturas, especialmente as pré-moldadas, esse coeficiente...
tracking img