Compare as respostas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2238 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]
UNCISAL – Universidade de Ciências da Saúde do Estado de Alagoas













TECNOLOGIA DE ALIMENTOS
Industrialização de frutas e hortaliças e
Industrialização de cereais



























Maceió
24 de Maio de 2011
[pic]
UNCISAL – Universidade de Ciências da Saúde do Estado de Alagoas
Metodologia de pesquisaTECNOLOGIA DE ALIMENTOS
Industrialização de frutas e hortaliças e
Industrialização de cereais







Processos Gerenciais 2º período
Professor: Cicera Alencar

Aluno:
Leonardo
Everton
Silvana
Allyne
Silvana
Ariana
Rafael
Victor
Bruna
Maceió
24 de Maio de 2011

Introdução:

Nos últimos anos, os consumidores estão mais preocupados quanto à escolha dos alimentos.Como as frutas e hortaliças são fundamentais na dieta alimentar, o consumo desse tipo de alimento tem sido incrementado. Em supermercados, quitandas e sacolões, é cada vez mais comum encontrar frutas e verduras já lavadas, higienizadas e embaladas, prontas para o consumo. Trata-se de produtos minimamente processados, que aliam conveniência e praticidade, conquistando a preferência do consumidor.O processamento mínimo consiste em submeter hortaliças e frutos a uma ou mais alterações físicas, como lavagem, descascamento, fatiamento e corte, e em alguns casos a tratamentos químicos, tornando-os prontos para o consumo ou preparo. Após serem processados, os produtos devem apresentar atributos de qualidade, mantendo o máximo de suas características nutritivas e sensoriais, como ofrescor, aroma, cor e sabor.
Segundo Oliveira et al. (2003), esta técnica visa basicamente estender a vida útil dos alimentos, o que depende de uma série de fatores, como escolha da matéria-prima, cuidados de higiene e preparo final. Mas, ao contrário da maioria das técnicas de processamento de alimentos, que estabilizam a vida de prateleira dos produtos, o processamento mínimo pode aumentar suaperecibilidade. Em condições de temperatura ambiente, os produtos minimamente processados deterioram-se mais rapidamente, tendo em vista que os processos metabólicos e danos microbiológicos são mais acelerados.



1 – Histórico:

O século XX não foi marcado apenas por avanços em tecnologia. Em função da mecanização agrícola, um elevado contingente de população do campo migrou para ascidades e, em conseqüência disso, fez surgir mudanças nos hábitos alimentares e a necessidade de preservação dos alimentos por períodos maiores.
Segundo Jacomino et al. (2004), a técnica de processamento mínimo é relativamente recente, tendo início por volta de 1990, devido à necessidade de se conservar os alimentos por tempo maior. Desde então, nota-se um crescimento tanto na pesquisa comona comercialização desses produtos, em função da demanda por produtos frescos.
Ultimamente, devido a maior participação das mulheres no mercado de trabalho, houve uma redução no tempo disponível para o preparo das refeições. Aliado a este fato, a busca por uma alimentação mais rica e saudável e a redução do tamanho das famílias intensificaram a procura por alimentos mais práticos, prontospara o consumo, e que apresentem alta qualidade nutricional e organoléptica. Assim, o processamento mínimo surge para proporcionar maior praticidade e economia de tempo no preparo diário dos alimentos, uma mudança cada vez mais necessária ao agitado mundo moderno.


2 – Processamento mínimo de hortaliças

O processamento mínimo de produtos hortícolas inclui as atividades de seleção eclassificação da matéria prima, operações de lavagem, processamento (corte, fatiamento, descasque), sanitização, embalagem, entre outras, a depender do produto.

3 – Processamento mínimo de frutas

Uma gama de razões pode levar o consumidor a optar pelos minimamente processados. O tamanho da fruta pode ser uma delas. Ao comprar uma fruta minimamente processada numa unidade de comercialização adequada...
tracking img