Como a sociedade brasileira vem reagindo a violência decorrente a pessoa com deficiencia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1150 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de maio de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]





















































































SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO 14

2 DESENVOLVIMENTO 15
2.1 TÍTULO NÍVEL 2 – SEÇÃO SECUNDÁRIA 15
2.1.1 Título Nível 3 – Seção Terciária 15
2.1.1.1 Título nível 4 – Seção quaternária 15
2.1.1.1.1 Título nível 5 – Seçãoquinária 15

3 EXEMPLOS DE ELEMENTOS DE APOIO AO TEXTO 16
3.1 EXEMPLO DE GRÁFICO 16
3.2 EXEMPLO DE FIGURA 16
3.3 EXEMPLO DE QUADRO 17
3.4 EXEMPLO DE TABELA 17

4 CONCLUSÃO 18

REFERÊNCIAS 19

APÊNDICES 20
APÊNDICE A – Instrumento de pesquisa utilizado na coleta de dados 21

ANEXOS 22
ANEXO A – Título do anexo 23
INTRODUÇÃO

Esta etapa deve conter parágrafos que falemsobre a importância do tema escolhido, sua relevância e aplicabilidade.
A violência contra pessoas com deficiência é ainda pouco estudada no Brasil. O que mais marca a sociedade é falta de conhecimento sobre os portadores de deficiência, que traz consigo a raiz do preconceito. São pessoas como nós lutando pelos seus direitos e só querem uma oportunidade de mostrar para o mundo o quesão capazes de fazer e assim provando que a deficiência não as impede de ser quem elas são, pessoas como nós querendo um mundo melhor e sem preconceito como nós. As violências e violações de direitos, muitas vezes, fazem parte do contexto social e familiar dessas crianças e jovens. Concluímos que, quando as deficiências estão associadas a formas de violência e à violação de direitos, as instituiçõestêm desenvolvido estratégias de amparo social e apoio em rede para melhorar a qualidade de vida de seus usuários. No Brasil, existem cerca de 24,5 milhões de portadores de deficiências.
Em todo o mundo, eles chegam a 600 milhões, sendo que 80% vivem nos países em desenvolvimento.
Estima-se que expressiva parcela de pessoas com deficiência esteja em regiões que não dispõem deserviços necessários para ajudar a superar as limitações, mantendo essas pessoas fora de seus direitos mais básicos. Pobreza, desigualdade e exclusão produzem múltiplas vulnerabilidades e, quando associadas à deficiência e ao transtorno mental, perpetuam desvantagens cumulativas, reduzindo as oportunidades e até mesmo o discernimento quanto aos direitos e à forma de acesso a eles. Os deficientes são osmais pobres entre os pobres, e permanecerão assim se medidas envolvendo ações em rede, junto às famílias, comunidades, instituições, órgãos governamentais e não-governamentais e programas sociais não forem acionadas.
Em outras palavras, embora a violência atinja todas as regiões, idades e classes sociais, quando ela se associa, de um lado, à pobreza e, de outro, à desigualdade. E com adesigualdade, diversidade e violência na sociedade brasileira as pessoas com deficiência sofrem discriminações e se sentem menosprezados, violentados. E os causadores disso, é a própria sociedade, infelizmente existem pessoas preconceituosas ao ponto de rejeitar essas pessoas com deficiências, faz piadinhas, humilha essas pessoas que precisa tanto da nossa ajuda e colaboração para conscientizar asociedade que eles são iguais a todos nós e que tem os mesmos direitos que nós temos.
Para se alcançar os objetivos de igualdade e participação plena, não bastam medidas de reabilitação voltadas para o indivíduo portador de deficiência. A experiência tem demonstrado que, em grande medida, é o meio que determina o efeito de uma deficiência ou de uma incapacidade sobre a vidacotidiana da pessoa. A pessoa vê-se relegada à invalidez quando lhe são negadas as oportunidades de que dispõe, em geral, a comunidade, e que são necessárias aos aspectos fundamentais da vida, inclusive a vida familiar, a educação, o trabalho, a habitação, a segurança econômica e pessoal, a participação em grupos sociais e políticos, as atividades religiosas, os relacionamentos afetivos e sexuais, o...
tracking img