Como a psicologia contribuiu para a educação

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3926 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]


UNIVERSIDADE ANHANGUERA – UNIDERP
CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
CURSO DE PEDAGOGIA





PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO


Nomes:
Sônia Cristina Ito de Moura (R.A 5531100476)
Edna Araujo dos Santos (R.A 5570136094)
Andréia Pedroso Lopes (R.A 5568131065)
Daiane Romano (R.A 5308955833)



Atividade Pratica Supervisionada (ATPS)
Entregue como requisito para conclusão dadisciplina
Psicologia da Educação, sob a orientação do
Professor-tutor a distancia
Claudia Maria de Souza Oliveira




Santo André, setembro de 2012.

Introdução


Esta pesquisa tem por objetivo evidenciar as contribuições da Psicologia na Educação, destacando aspectos importantes de quatro teóricos que contribuíram com seus estudos para esta evolução. São eles: Sigmund Freud, JeanPiaget, Wallon e Lev Vigottski.

Estudar o desenvolvimento do ser humano implica em compreender o homem em todos os seus aspectos, começando pelo nascimento e chegando ao mais complexo grau de maturidade e estabilidade.

Veremos a evolução desses estudos, baseado em diversas teorias, com base em diferentes metodologias e pontos de vista.Sigmund Freud

Sigmund Freud nasceu em 1856 em Frieberg, território pertencente à Áustria, e que atualmente está anexado a Tchecoslováquia. Filho de família judaica, Freud aos quatro anos muda-se para Viena e lá passou a maior parte de sua vida, somente aos 82 anos que ele vai morar em Londres e lá que aos 82 anos morre. A educação foi fundamental para a vida do jovemSigmund Freud, além de seu gosto pelos estudos, ele também tinha em sua mente que somente por esse caminho que uma pessoa pertencente a uma família de recursos econômicos pequenos poderia ascender socialmente e culturalmente, a fim de frequentar os grandes círculos sociais vienenses. Ao se formar em medicina, se especializou em doenças mentais, onde atuou como neurologista estando em um campo onde aclientela sofria as chamadas doenças nervosas psicoses, neuroses, esquizofrenia, e histerias. Nessa época os tratamentos estavam centrados em eletroterapia, massagens, hidroterapia ou até mesmo a hipnose. Diga-se de passagem, que é válido destacar essa ultima forma de tratamento, uma vez que, foi a que Freud mais adotou, antes da criação da psicanálise.

A psicanálise é constituída de duaspartes: As teorias sobre o funcionamento humano em termos psicológicos, e as técnicas de tratamento. Da mesma forma que a anatomia e a fisiologia, conhecimentos fundamentais dão uma base sólida a todas aquelas especialidades acima mencionadas, o conhecimento psicanalítico também fornece fundamentos para uma série de atividades, tais como a educação, a psicologia (individual e social), agora apsicopedagogia, etc. Vamos demonstrar as relações entre psicanálise e educação, possíveis elementos que ultrapassem a psicologização dos problemas educacionais essencialmente de origem social, política e econômica. Entretanto, não se descarta o aspecto frutífero desta relação, que pode ser a utilização da hermenêutica psicanalítica aliada à crítica dialética da acultura. Se a ambiguidade da formaçãocultural e, em sentido estrito, da educação, não pode ser eliminada simplesmente com um esclarecimento terminológico, é tarefa de a Teoria Crítica contrapor os conceitos à realidade. Portanto, formação cultural é a negação do que vivenciamos até então: semiformação socializada (Halbbildung) possível de ser apreendida na educação por meio de parâmetros pedagógicos que não têm aprofundado sua reflexãosobre a cultura e a teoria do conhecimento, sobre a democratização do ensino, a indústria cultural e os processos inconscientes existentes na relação escola-sociedade.

Segundo Freud, os estudos psicanalíticos devem direcionar-se mais a auxiliar o educador na difícil tarefa de educar, missão quase impossível de ser realizada plenamente, pois o ser humano vive numa constante luta entre...
tracking img