Comentario cap2 sergio adorno aprendizes do poder

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (259 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
CAPÍTULO 2
A Academia de Direito de São Paulo no Projeto de Construção do Estado Nacional

A criação do Estado Nacional exigiu a formação de um corpo burocrático.Nesse contexto, os cursos jurídicos no Brasil seguiram a tendência liberal então vigente e o Estado erigiu-se como um Estado de magistrados, parlamentares e funcionários deformação profissional jurídica, que passou a ser a figura central mediadora entre interesses privados e públicos. Os principais cargos do judiciário, legislativo eexecutivo passaram a ser ocupados por esse profissional.

A profissionalização da política, iniciada na academia de direito, foi determinada pelo bacharel, que encontrou nasteses liberais o ponto de convergência para uma consciência nacionalista e a rearticulação das elites. Esse profissional se desenvolveu em uma agitada vida acadêmica, queteve no jornalismo seu maior instrumento de luta, tendo sido disciplinado, moral e politicamente, segundo princípios liberais.

Esse processo, entre a criação doscursos e 1880, serve para compreender as raízes da burocratização estatal. No Largo do São Francisco não existia um efetivo ensino jurídico, mas era celeiro de um“mandarinato imperial” de bacharéis.

São Paulo, nesse período, possuía cerca de 15.000 habitantes e seus serviços públicos eram precários. A cidade parecia viver às expensas davida acadêmica, que contrastava com situação de penúria da cidade.

Tanto a academia de Direito de São Paulo quanto a de Recife surgiram pela necessidade de formação dequadros para o Estado, recém “libertado” do colonialismo português e a prevalência do ideal de liberdade sobre o de igualdade reproduziu-se na formação dos bacharéis.
tracking img