Colorimetria

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 27 (6572 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CONSELHO REGIONAL DE QUÍMICA - IV REGIÃO (SP)

Cor e colorimetria

Ministrante: Bel. em Química Paulo Cezar M. Tiano Diretor da Novas Tendências promoções e treinamento Contatos: ptiano@osite.com.br

Apoio

São Paulo, 18 de setembro de 2009
Observação: A versão original desta apresentação, com slides coloridos, no formato PDF, está disponível na seção downloads do site do CRQ-IV(www.crq4.org.br)

Minicursos CRQ-IV - 2009
COLORIMETRIA

Paulo Tiano 2009

Conselho Regional de Química IV Região (SP) – Apoio: Caixa Econômica Federal

Minicursos CRQ-IV - 2009
COLORIMETRIA

Histórico

• Século 17
– Isaac Newton
• Dispersão da Luz Branca através de um prisma em vários espectros de cor

– Goethe
• Possui o mérito de haver proposto a dualidade psico-física
dascores e das sensações luminosas.

• Século 18 – Thomas Young
• Visão Triestímulos – Três detectores sensíveis a cor

• Século 19 – Ewald Hering
• Teoria das cores oponentes • Percepção psicofísica da cor

Conselho Regional de Química IV Região (SP) – Apoio: Caixa Econômica Federal

Minicursos CRQ-IV - 2009
COLORIMETRIA

• Século 20/21
– A.Schuster
• Teoria da Transferência Radioativa– Kubelka e Munk
• Equaçao K/S – Baseado nos algoritmos da formulação de corantes.

– – – – – – – –

CIE 1924 – Primeira Reunião - Paris CIE 1931 – Observadores Padrões CIE 1931 – Coordenadas Triestímulos CIE 1964 – Observadores Padrões CIE 1976 – Espaço L*a*b* 1979 – JPC79 – CMC – Elipses CIE 1994 – Extensão do espaço CIE1976 – Elipses CIE 2000 - Refinamento CIE1994 com a sensibilidadedo olho humano.
Conselho Regional de Química IV Região (SP) – Apoio: Caixa Econômica Federal

Minicursos CRQ-IV - 2009
COLORIMETRIA

O Trinômio

Conselho Regional de Química IV Região (SP) – Apoio: Caixa Econômica Federal

Minicursos CRQ-IV - 2009
COLORIMETRIA

Olho Humano

Conselho Regional de Química IV Região (SP) – Apoio: Caixa Econômica Federal

Minicursos CRQ-IV - 2009COLORIMETRIA

Mecanismo da Visão

• • • • •

Retina transforma energia radiante em impulsos nervosos 130 milhões de detectores – cones e bastonetes Células Bipolares e Células Glanglionares Nervo Óptico – 800.000 fibras nervosas Cérebro – Córtex - Claridade, cor e forma

Conselho Regional de Química IV Região (SP) – Apoio: Caixa Econômica Federal

Minicursos CRQ-IV - 2009
COLORIMETRIACones e Bastonetes
• Cones – 6 a 7 milhões – Sensíveis ao Azul 440-450nm – Sensíveis ao Verde 520-540nm – Sensíveis ao Vermelho 550-560 nm – Visão Fotópica – Diurna • Bastonetes – 110 à 130 milhões – Pigmento Púrpura Visual (Rodopsina) – Rodopsina é sensível a luz – Visão escotópica - Noturna
Conselho Regional de Química IV Região (SP) – Apoio: Caixa Econômica Federal

Minicursos CRQ-IV -2009
COLORIMETRIA

Fóvea
• Parte da Retina mais sensível • Recoberta pela macula lútea • Possui uma quantidade e qualidade dos receptores distinta do resto da retina - Cones.

Conselho Regional de Química IV Região (SP) – Apoio: Caixa Econômica Federal

Minicursos CRQ-IV - 2009
COLORIMETRIA

Efeito Bezold-Bruke

Visão Mesopic

Visão Photopic

Visão Scotopic
• A visão coloridado espectro visível depende da iluminação. O Efeito Bezold-Bruke descoberto em 1873 define que ao aproximar do nascer do sol nossos cones ainda não estão totalmente ativados então nossa visão de cores limita-se ao azul verde e amarelo. Com mais iluminação temos o acionamento total da Fóvea e todo o espectro pode ser visto. Ao anoitecer somente podemos ver formas onde os bastonetes são ativados.Conselho Regional de Química IV Região (SP) – Apoio: Caixa Econômica Federal

Minicursos CRQ-IV - 2009
COLORIMETRIA

Células Bipolares e Glanglionares

• Exercem a conexão entre os cones e bastonetes e o nervo óptico • 1 célula recebe impulsos de vários receptores • Responsáveis fluxo luminoso com a pupila

Conselho Regional de Química IV Região (SP) – Apoio: Caixa Econômica Federal...
tracking img