Clonagem de genes

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2730 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Escola Secundária de Caneças
Biologia 12º Ano
Laboratório da Lusófona



Clonagem de genes e DNA Fingerprint











Caneças, 12 de Fevereiro de 2012
Índice




Fundamento Teórico 4


• Clonagem de genes: 4


• DNAFingerprint 5


Material 7


• Clonagem de genes: 7


• DNA Fingerprint: 7


Procedimento experimental 8


• Clonagem de genes: 8• DNAfingerprint: 8


Resultados 9


• Clonagem de genes: 9


• DNAFingerprint: 9


Discussão de resultados 10


Conclusão 12


Bibliografia 13


• Impressa: 13


• Informática: 13


Introdução

A visita de estudo realizada no dia 1 de Fevereiro de 2012 à Universidade Lusófona foi feita no âmbito da matéria leccionada na disciplina de biologia (EngenhariaGenética). Nesta visita de estudo foram realizadas duas experiências sobre esta temática para melhor compreensão dos processos apresentados na aula sobre a clonagem de genes e DNA fingerprint.
A Engenharia Genética consiste num conjunto de várias técnicas que possibilitam o estudo do DNA, nomeadamente os genes. Este estudo baseia-se na identificação, manipulação, propagação e transporte de genesentre várias espécies e só se conseguiu este avanço na ciência devido a também haver um grande desenvolvimento na área da tecnologia, que forneceu assim «ferramentas» fundamentais para estes estudos do DNA das células. A «ferramenta» mais utilizada em Engenharia Genética são as enzimas de restrição, que não foram inventadas pelo Homem, mas sim descobertas nas bactérias. Estas enzimas de restriçãosó foram descobertas devido ao aparecimento de instrumentos fundamentais para a observação dessas. Sendo assim as enzimas de restrição que se usa em Engenharia Genética, não foram criadas mas sim recriadas em laboratórios pelos cientistas.
As enzimas de restrição (Fig.1) são proteínas com uma função muito específica, isto é, elas reconhecem uma certa sequência nucleotídica do DNA e actuamnesse sítio, fragmentando assim a molécula de DNA (actuam nas duas cadeias do DNA sempre no sentido 5’ ( 3’) formando zonas de restrição. Com esta «ferramenta» conseguimos assim recombinar moléculas de DNA de espécies diferentes, mas isto só é possível se utilizar-mos a mesma enzima de restrição nos dois DNA’s utilizados, pois como reconhecem a mesma sequência nucleotídica vão formar as mesmaszonas de restrição que por sua vez vão formar as mesmas extremidades coesivas que são responsáveis pela recombinação do DNA das espécies utilizadas. Outras enzimas utilizadas em Engenharia Genética são as DNA ligase, que são utilizadas para ligar permanentemente as duas cadeias nucleotídicas do DNA recombinante obtido.
[pic]


Para além das enzimas de restriçãoserem importantes na Engenharia Genética, não podemos realizar nenhum dos processos se não tivermos vectores, isto é, o DNA que vai servir para juntar o gene de interesse. Estes vectores na Engenharia Genética baseiam-se em plasmídeos, vírus e em cromossomas artificiais. Os mais utilizados são os plasmídeos, pois são oriundos das bactérias, o que os torna vantajosos, devido a terem de voltar àbactéria e assim obtermos um grande número de DNArecombinante em pouco tempo, beneficiando assim o ser humano.
Fundamento Teórico


• Clonagem de genes:
As experiências abordadas na visita de estudo foram a clonagem de genes e o DNAfingerprint. Em primeiro lugar foi realizada a clonagem de genes que consiste em multiplicar um dado DNArecombinante.
Inicialmente tornou-se oambiente estéril com o auxílio do bico para que a bactéria que vai servir de hospedeira para este DNArecombinante (E.Coli) se desenvolva nas suas condições habituais de crescimento.







Depois do ambiente estar descontaminado iniciámos a nossa experiência e foi necessária a adição de cloreto de cálcio (CaCl2) de modo a desorganizar a membrana da bactéria para que a entrada do...
tracking img