Clicrbs mulher

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1189 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
DIÁRIO CATARINENSE, QUINTA-FEIRA, 8 DE MARÇO DE 2012

DIÁRIO CATARINENSE, QUINTA-FEIRA, 8 DE MARÇO DE 2012

Reportagem Especial

a catarinense
Último censo do IBGE traça o perfil da mulher que mora em Santa Catarina, com análise da raça, participação no mercado de trabalho, salário e o seu papel dentro da família
ALINE REBEQUEI E JÚLIA ANTUNES LORENÇO

13.004 87.142 371.594
Parda PretaIndígena

Amarela

7.955

Quem é e como está vivendo
B
ranca, urbana e com pouca renda. Este é o perfil da mulher que mora em Santa Catarina, de acordo com dados do último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Elas somam 3.148.076 pessoas – 50,38% da população. Destas, 84,7% responderam ser brancas. A maioria delas não tem rendimento. Das 2.735.462 mulheresacima de 10 anos, 950 mil estão nesta situação. Entre as que recebem remuneração, 756.320 ganham entre um a dois salários mínimo. Isso pode explicar o fato de que a minoria é chefe de família. São 705 mil responsáveis pelo lar, o que representa apenas 22,39%, das 3,1 milhões ouvidas. Outro motivo pode estar na diferença salarial entre homens e mulheres. O supervisor técnico do Dieese, José ÁlvaroCardoso, observa que apesar de o mercado de trabalho ter 45% de participação feminina, elas recebem os menores salários. A boa notícia é que essa diferença pode acabar em breve. A Comissão de Direitos Humanos do Senado aprovou, na terça-feira, o projeto de lei que prevê multa à empresa que pagar menos para a mulher do que para o homem, quando ocupam a mesma função. A proposta espera apenas a sanção dapresidente Dilma Rousseff. O supervisor do Dieese considera o projeto válido, mas observa que o preconceito no mercado de trabalho, entre o sexo feminino e masculino, não se restringe à diferença salarial. – Existe uma forma mais sutil de discriminação contra a mulher. Muitas vezes temos uma categoria predominantemente feminina que é chefiada por homens, que ocupam cargos de gerente, diretores.Isso significa que elas não conseguem galgar cargos mais altos – finaliza.
aline.rebequi@diario.com.br julia.antunes@diario.com.br

Sem declaração

50

84,7%
é branca

50,38%
da população catarinense

15 PAÍSES NO MUNDO EM QUE MAIS VIVEM MULHERES CATARINENSES

Reino Unido

773

raça branca predomina
Suíça

França

220

Alemanha

Estados Unidos

Portugal

2.267

876848

170

1.213
Espanha

Itália

603

Austrália

3.148.076 3.100.360 mulheres homens
elas são a maioria no estado
As catarinenses representam 50,38% da população. São 3.148.076 mulheres para 3.100.360 homens. Em 19 unidades da federação, as mulheres também são a maioria. O professor de geografia econômica José Messias Bastos, da Universidade Federal de SC (UFSC), explica que, doponto de vista socioeconômico, a explicação para haver mais mulheres do que homens é a mortalidade alta entre o sexo masculino. – Os jovens se expõem mais a riscos do que as meninas. Morrem mais no trânsito, se envolvem mais com a violência.

Argentina

340

0,28%
vive fora do país

234

Quanto à declaração de que 84,7% das mulheres catarinenses são brancas, a explicação está nahistória da colonização catarinense, sendo a maioria descendentes de origem italiana e alemã. – Se fizermos a mesma pergunta na Bahia, por exemplo, não teríamos a mesma resposta. É simplesmente uma questão cultural. Mas neste ponto, não podemos deixar de lembrar que aquelas que tem descendências caboclas, ou seja, indígena e branca, não se declaram pardas, mas somente brancas – explica Teresa Kleba,integrante do Instituto de Estudos de Gêneros da Universidade Federal de SC (UFSC).

70 a 100 anos ou mais

5,1%

muitas estão em busca de experiências e melhores condições fora do país
Pela primeira vez, o censo perguntou quantas mulheres estão fora do país, a trabalho ou a estudo. Em 2010, 9.068 estavam no exterior. Destas, 2.509 escolheram a América do Norte, sendo 2.267 nos EUA. Na...
tracking img