Cinco genes diretamente relacionados como desempenho do nosso corpo durante uma atividade física e que já passam por manipulação genética.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3836 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Genética e atividade física

Estudos mostram a relação entre genética e desempenho esportivo, apontando o futuro da prescrição e orientação de atividades físicas.

Ao obter as informações genéticas de uma pessoa, os profissionais de Educação Física poderão identificar, de antemão, em qual treinamento ela terá uma resposta melhor, aumentando consideravelmente a precisão na prescrição deexercícios físicos. Isso significa que, no futuro, poderemos analisar os dados genéticos de um aluno para montar uma planilha de treinos altamente personalizada, definir um plano de aula na Educação Física Escolar, ou, ainda, identificar e potencializar um talento esportivo.

Doping genético

Todo avanço científico pode ser usado tanto para o bem como para o mal. Na área de genética e esporte nãoé diferente e é grande a discussão sobre o doping genético – o uso, eticamente distorcido, de uma técnica chamada “terapia gênica”, em que genes artificiais são introduzidos em pessoas doentes para fins estritamente terapêuticos. No caso do doping genético, esses genes sintéticos são injetados (ou transfundidos) no atleta com o objetivo de melhorar sua performance. Um exemplo seria o EPO, um geneque define, em parte, a quantidade de hemácias no organismo. Um atleta que receba o EPO artificial, com características de pessoas que tenham uma mutação nesse gene, apresentaria concentrações extremamente elevadas de hemácias no sangue e, assim, teria um desempenho superior. “Se já temos ou não atletas transgênicos desfilando pelas arenas de competição, opiniões serão apenas especulações. Ouseja, “achar” que um atleta fez o uso do doping genético, qualquer um acha. Até o presente momento, ninguém pode comprovar este detalhe”, pondera.

Essa é a grande questão atual do doping genético: ainda não há uma forma eficiente, simples e econômica de testá-lo.


Cinco genes

Há cinco genes diretamente relacionados como desempenho do nosso corpo durante uma atividade física e que jápassam por manipulação genética. São eles:
EPO
A eritropoetina (EPO) é uma glicoproteína sintetizada pelo rim, mais especificamente pelas células adjacentes aos túbulos proximais renais (90%), e pelo fígado também, porém, em menor quantidade (10%). Apresenta como função a regulação da eritropoiese (produção de eritrócitos, também conhecidos como hemácias ou glóbulos vermelhos) no homem e em outrosanimais.

Esta glicoproteína era rotineiramente utilizada para melhorar o desempenho dos atletas, especialmente nas modalidades de fundo (ciclismo, atletismo e esqui, por exemplo), uma vez que eleva os níveis de eritrócitos sanguíneos, incrementando a troca de oxigênio, resultando, assim, no aumento da resistência ao exercício físico. No entanto, em 1987, o Comitê Olímpico Internacional proibiua utilização dessa substância, posto que a administração de EPO em atletas de ponta pode levar ao aumento artificial de seu desempenho. Objetivando preservar a saúde do atleta e a ética esportiva, este comitê e outras federações esportivas atualmente apontam como doping o uso de EPO e seus análogos.

Em 1906, Carnot descobriu que a administração de soro de coelhos anêmicos em coelhos saudáveisresultava no aumento da síntese de eritrócitos nestes. Anteriormente foi empregado o termo hemopoetina, havendo posterior permutação para eritropoetina.

Apenas no ano de 1957 que foi elucidada sua produção renal. O gene da molécula foi detectado e clonado em 1985, possibilitando sua produção industrial, sendo então aprovada sua utilização médica nos Estados Unidos no ano de 1989. Embora suaeficácia seja comprovada, esta não pode substituir de maneira alguma o sangue quando a transfusão sanguínea se faz necessária ou em determinados tratamentos como a leucemia e outros tipos de neoplasias, pois sua incumbência é apressar a produção de hemácias, mas não sua substituição.

A EPO é amplamente utilizada no tratamento de diversos tipos de anemias, preparos de procedimentos cirúrgicos em...
tracking img