Cimentação

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2472 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
1

ÍNDICE

ÍNDICE RESUMO NOMENCLATURA INTRODUÇÃO OBJETIVO METODOLOGIA E MATERIAL DISCUSSÃO A - Derivação das equações governantes B - Solução Para Fluxo Em Estado Estacionário Com Reação Química C - Cálculo do Índice de Produtividade D - Solução Analítica E - Efeito de Skin CONCLUSÕES BIBLIOGRAFIA

1 2 3 5 6 7 7 9 12 15 17 25 29 30

2

RESUMO

A injeção de água em reservatóriospetrolíferos é feita para a manutenção a pressão de do reservatório e conseqüentemente principalmente em

manter

produção

hidrocarbonetos,

reservatórios de campos senis, num nível economicamente viável. Geralmente ocorre uma incompatibilidade química entre a água injetada e a água conata, devido a esta incompatibilidade ocorrem reações químicas que resultam na precipitação de sais. Estesprecipitados se acumulam a redução nos da poros das rochas do

reservatório

causando

permeabilidade

original

destas rochas levando a uma queda na quantidade produzida de hidrocarbonetos. Este trabalho discute a precipitação do sal sulfato de bário ao longo do reservatório e porque esta precipitação, e

conseqüente, deposição ocorrem, mais intensamente, próximas ao poço produtor do queem outras áreas do reservatório.

3

NOMENCLATURA

C = Concentração de Ba2+ adimensional CBa= Concentração aquosa,M CSO4= Concentração aquosa,M D = Coeficiente de difusão, m2/s f = Fluxo fracionário de água h = espessura, m PI= Índice de produtividade, m3/(s Pa) J = Impedância adimensionalisada k( ) = Função dano de formação k0 = Permeabilidade inicial, D Ka = Constante da taxa de reaçãoquímica, (M s)-1 (reação de 2ª ordem) kro = Permeabilidade relativa do óleo krw = Permeabilidade relativa da água m = Coeficiente linear da função impedância M = Unidade de concentração molar para concentração molar, gmole/L (ou kgmol/m3) P = Pressão, Pa Q = Vazão total, m3/s r = Coordenada radial, m Rc = Raio de contorno, m rw = Raio do poço, m s = Saturação de água t = Tempo, s T = Tempo na formaadimensional U = Velocidade de fluxo, m/s V = Diferença de concentração Y = concentração de SO4 adimensional molar de SO42em solução molar de Ba2+ em solução

4

Letras gregas = Razão SO42D=

entre

as

concentrações

de

Ba2+

e

Coeficiente de dispersão, m Coeficiente de dano de formação

c k

= Número de difusão (Schmidt) adimensional = Número de cinética químicaadimensional = Porosidade
-1 = Intensidade de reação, (M m) (reação de 2ª ordem

0 w

= Viscosidade do óleo, kg/(m s) = Viscosidade da água, kg/(m s) = Coordanada radial adimensional

BaSO4

Concentração sólido

molar

de

BaSO4

no

estado

= Concentração de BaSO4 adimensional Subscritos = Concentrações adimensionais normalizadas pela concentração de Ba2+ injetado Sobrescritos 0 =Inicial

5

INTRODUÇÃO

Em poços manter a

offshore , injeta-se água para estimular e/ou para dos hidrocarbonetos esta água em um nível não é

produção viável.

economicamente

Quando

injetada

compatível com a água originalmente presente no reservatório (água conata) ocorrem reações entre estes diferentes tipos de água, a de formação e a injetada, resultando na precipitação desais nos poros das rochas do reservatório. Os diferentes tipos de composição química da água injetada e da água de formação proporcionam diferentes reações químicas, resultando em

precipitações de diferentes tipos de sais entre eles o sulfato de bário, sulfato de estrôncio, carbonatos de cálcio, etc
[1,2,3,4,5].

Injetor

Produtor

Água de formação
Água Injetada

Incrustação de BaSO4Figura 01

Movimentação da água injetada em direção ao Poço Produtor

A água que é injetada em campos offshore tradicionalmente, devido a facilidade de captação, é a água do mar que é rica em íons sulfato (SO4
- -

). Por outro lado a água de formação é rica em ). Quando estes dois tipos diferentes de água

íons de bário (Ba

++

entram em contato no meio poroso do reservatório...
tracking img