Cidadania

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 27 (6687 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
XII Encontro Nacional da ABEP 2000

Caxambu, outubro de 2000 GT de Migração Sessão 3 – A migração internacional no final do século
Elisa Massae Sasaki1 Gláucia de Oliveira Assis

TEORIAS DAS MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS

Introdução

Os migrantes de todos os tempos evocam diversas imagens. A partida, a viagem, o trajeto e a chegada a uma nova terra constrói um fio e uma trajetória que nos inquieta.Nos perguntamos por que migraram, quem deixaram, o que mudou em suas vidas. Estas imagens, quando associadas aos migrantes da virada do século XIX para o século XX, sugeriam desagregação social, quebra de laços familiares, guetos, criminalidade. Estes processos e problemas decorrentes da urbanização que emergiram nas cidades receptoras de grande contingente de migrantes de diversos lugares, muitasvezes foram associados a presença desta população. Assim, foi nos EUA, país receptor de milhões imigrantes de diferentes nacionalidades, que a migração tornou-se um problema sociológico. Isto significou problematizar estas imagens acerca dos migrantes e procurar desvelar estes movimentos de população. Neste artigo abordaremos como os migrantes foram apreendidos pelos teóricos da migração e como osestudos contemporâneos buscam dar conta dos novos fluxos migratórios. Para realizar tal mapeamento, reconstruiremos sinteticamente a trajetória das teorias sobre migração internacional. Inicialmente nos deteremos nas teorias que enfatizaram os processos de (des)integração social e a assimilação cultural dos imigrantes, cuja matriz fundamental são os estudos da Escola de Chicago. Em seguida,comentaremos as análises críticas posteriores e os estudos que questionaram o melting pot e analisaram a complexa

1

Doutorandas em Ciências Sociais, IFCH – UNICAMP.

2

inserção dos imigrantes no mercado de trabalho. Discutiremos ainda como outras abordagens trataram os movimentos populacionais, partindo de diferentes perspectivas que analisaram a inserção do migrante no mercado de trabalho, numcontexto de aumento dos fluxos migratórios internacionais a partir dos anos 50. Numa outra perspectiva, as teorias de redes sociais e transnacionalismo enfatizaram as múltiplas relações que os migrantes estabelecem com as sociedades tanto de origem quanto de destino, evidenciando que as categorias pelas quais os migrantes são analisados necessitam ser problematizadas. As migrações recentes debrasileiros para o estrangeiro ocorrem no contexto dos fluxos migratórios contemporâneos. Assim como os migrantes do início do século, muitas imagens são associadas aos mesmos. Entretanto, a partir da análise das teorias sobre migrações internacionais, pretendemos colocar questões e delinear perspetivas de reflexão que nos possibilitem compreender melhor quem são, por que partem e como vivem os imigrantesbrasileiros no exterior.

Migração como problema sociológico

O tema da migração não era uma questão relevante para os estudos sociológicos da virada do século XIX para XX. Richmond (1988), ao analisar os clássicos – Malthus, Marx, Durkheim e Weber – demonstrou que a migração era analisada enquanto conseqüência do processo de desenvolvimento do capitalismo, assim como os processos deindustrialização e urbanização. Isto envolvia o declínio das comunidades rurais e a criação de culturas heterogêneas e cosmopolitas, na concorrência dos imigrantes por emprego e na luta para sobreviver numa cidade de ambiente estranho. Para demonstrar este argumento, Richmond demonstra como os autores clássicos da sociologia abordaram a questão da migração. Segundo Malthus, a migração era vista como umaconseqüência inevitável da superpopulação. O Novo Mundo possibilitava um espaço para as migrações temporárias para fugir do ciclo de pobreza e miséria. Este pensamento derivava de sua concepção de que a população crescia em ordem geométrica, enquanto a capacidade de gerar tecnologias crescia em ordem aritmética.

3

Já Marx discordava de Malthus, cuja visão ele considerava reacionária, pois apontava...
tracking img