Cidadania no brasil: um longo caminho

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 19 (4522 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
FICHAMENTO

LIVRO: CIDADANIA NO BRASIL: um longo caminho
CAPÍTULO III E IV
AUTOR: José Murilo de Carvalho

CAPITULO III – PASSO ATRÁS, PASSO ADIANTE (1964-1985)
Os resquícios de participação política conquistados lentamente nos anos que se passaram o fatídico ano de 1964 os vetou quando houve uma reação de defensiva contra a imposição de mais um regime ditatorial. A restrição foi por meioda violência. 1964 foi um período de perda dos direitos sociais e de uma forte atuação do Estado na promoção da economia.

Os governos militares podem ser divididos em três fases:

A primeira vai de 1964 a 1968 e corresponde ao governo do general Castelo Branco e primeiro ano do governo do general Costa e Silva. Caracteriza-se no inicio por intensa atividade repressiva seguida de sinais deabrandamento. Na economia foi período de combate à inflação e de queda no salário mínimo, além de um pequeno crescimento econômico. No ultimo ano, 1968, a economia retomou os altos índices de crescimento (parecidos com os da década de 50 relacionado ao petróleo e abertura política).

A segunda fase vai de 1968 a 1974 e compreende os anos mais sombrios da história do pais, do ponto de vista dosdireitos civis e políticos. Foi o domínio dos militares mais truculentos, reunidos em torno do general Garrastazu Médici. O período combinou a repressão política violenta mas também os conjugou com os índices jamais vistos de crescimento econômico. Todavia, em contraste com as taxas de crescimento, o salário mínimo continuou a decrescer.

A terceira fase iniciada em 1974, com a posse do generalErnesto Geisel, termina em 1985, com a eleição indireta de Tancredo Neves. Nessa fase as leis de repressão vão sendo revogadas e o movimento de oposição vai crescendo. Na economia, a crise do petróleo de 1973 reduz os índices de crescimento (sendo que no inicio dos anos 80 chegam a ser negativos).

PASSO ATMS: NOVA DITADURA (1964-1974)

Derrubado Goulart (1964) os políticos civis que tinhamapoiado o golpe, sobretudo os da UDN, foram surpreendidos pela decisão dos militares de assumir o poder diretamente. O general Castelo Branco foi imposto, a um Congresso já expurgado de muitos oposicionistas, como o novo presidente da República.

Carvalho tenta explicar essa atitude mais radical dos militares assumirem diretamente em 1964 pela ameaça que a divisão ideológica significava para aorganização militar e sua sobrevivência, até porque, para expulsar os inimigos das bases era necessário o poder. Somado a estes fatos, tinha também razões corporativas visto que os “antivarguistas” tinham-se preparado para o governo dentro da Escola Superior de Guerra onde elaboraram uma doutrina de segurança nacional e estudos sobre os principais problemas nacionais.

Os instrumentos legais darepressão foram os "atos institucionais" sendo que o primeiro foi introduzido logo em 9 de abril de 1964 onde foram cassados os direitos políticos de grandes líderes por 10 anos, além de outros mecanismos como a aposentadoria forçada para alguns funcionários públicos civis e militares.

Os Sindicatos antes impostos sofreram intervenção e foram fechados (CGT, UNE, etc.) Varias comissões deinquérito foram criadas para apurar supostos crimes de corrupção (Inquéritos Policiais Militares – IPMs) onde, dirigidos por coronéis do Exercito, perseguiram, prenderam e condenaram muitos opositores. A bandeira e o perigo comunista faziam parte das desculpas pela perseguição.
Em 1966, houve eleições estaduais, e o governo foi derrotado em cinco estados, inclusive no Rio de Janeiro e Minas Gerais. Emretaliação, os setores militares radicais
exigiram novas medidas repressivas, deu-se então o Ato Institucional nº 2, de outubro de 1965, aboliu a eleição direta para presidente da República, dissolveu os partidos políticos criados a partir de 1945 e estabeleceu um sistema de dois partidos.

O Ato nº 2 concedia autoridade ao presidente para dissolver o parlamento, intervir nos estados, decretar...
tracking img