Ciclo cardiaco

Introdução

Denomina-se ciclo cardíaco um conjunto de eventos que se repetem ritmicamente a cada batimento. A mecânica desse fenômeno, é a contração das câmaras cardíacas aliada a movimentação das válvulas.

Cada ciclo é iniciado pela geração espontânea de um potencial de ação no nodo sinusal. A trajetória desse potencial de ação é do nodo sinusal situado na parte superior da parede lateraldo átrio direito, para os átrios, em seguida passa pelo feixe até atingir os ventrículos.

A hemodinâmica do ciclo cardíaco é o conjunto de alterações concomitantes de volume, pressão e fluxo de sangue através do coração.. Além desses aspectos, outros fenômenos correlatos devem ser ressaltados, são eles:o eletrocardiograma, os ruídos cardíacos ou bulhas, e o pulso venoso e arterial.

Todos osciclos cardíacos são compostos por um período de relaxamento, chamado de diástole, onde o coração se enche de sangue. E por um período de contração cardíaca chamado de sístole.


Eventos Mecânicos e Hemodinâmicos

O início do ciclo cardíaco é marcado pela sístole auricular, após esta vem um curto intervalo e após este vem a sístole ventricular. Depois da contração ventricular vem um intervaloque termina com a sístole auricular do ciclo subsequente.
Geralmente o ciclo cardíaco é dividido em quatro fases sucessivas. As fases são:

a) fase de enchimento: nessa fase o ventrículo está relaxado (diástole ventricular). No início a pressão intraventricular é próxima de zero e portanto mais baixa que a pressão nas artérias pulmonar e aorta ou nas aurículas. As válvulas pulmonar e aórticaestão fechadas e com isso evitam o refluxo do sangue que foi ejetado no ciclo precedente.

Já as válvulas tricúspide e mitral estão abertas, dessa forma permitem a passagem do sangue das veias para dentro dos ventrículos. O final dessa fase é caracterizado pela contração das aurículas, as quais forçam nos ventrículos uma quantidade adicional de sangue, como é mostrado pela elevação no traçado dovolume ventricular no gráfico.

Podemos perceber que a contribuição auricular para o enchimento dos ventrículos é pequena quando em freqüências cardíacas baixas (20% do total de enchimento); mas é importante quando em altas freqüências cardíacas (até 80% do total do enchimento).

b) fase de contração isovolumétrica: esta fase começa imediatamente após o início da contração ventricular, isto fazsubir a pressão intraventricular subitamente. Como resultado disso, o sangue contido nos ventrículos tende a refluir para as aurículas, causando o fechamento das válvulas atrioventriculares.

Durante a sístole ventricular os músculos papilares têm grande importância, ao eles se contraírem, eles seguram as bordas valvulares e impedem que a pressão intraventricular force os folhetos das válvulasatrioventriculares, as tornando incompetentes para reter o sangue.

Neste instante a pressão intraventricular ainda é inferior às pressões nas respectivas artérias. As válvulas arteriais ainda estão fechadas e com isso o músculo ventricular exercerá uma força sobre um recipiente fechado (contração isovolumétrica). Durante essa fase a pressão intraventricular sobe até alcançar a pressão daartéria pulmonar e da aorta respectivamente.


c) fase de ejeção: tem seu início com a abertura das válvulas arteriais, no instante em que a pressão nos respectivos ventrículos ultrapassa as pressões arteriais correspondentes. Para que ocorra essa fase é necessário que a pressão ventricular esquerda ultrapasse 80 mm Hg e a pressão ventricular direita fique um pouco acima de 8 mm Hg.

Durante todaessa fase as pressões intraventriculares são um pouco superiores às pressões nas artérias. Isso faz com que o sangue passe em velocidade para a aorta e a artéria pulmonar. Cerca de 70% do sangue do sangue que sai dos ventrículos o faz durante o primeiro terço do período de ejeção, enquanto os 30% restantes saem durante os dois terço finas do período.

Nessa fase os ventrículos alcançam o máximo...
tracking img