Celulas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1313 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
REPERCUSSÕES DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS
Resíduos

SAVS

FONTE:
MAELI E. BORGES

CLASSIFICAÇÃO DO LIXO OU RESÍDUO SÓLIDO

URBANO

DOMICILIARES PÚBLICOS RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE ESPECIAIS: ENTULHOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL

LIXO OU • RURAL RESÍDUO SÓLIDO

• INDUSTRIAL

INERTES OU INCOMBUSTÍVEIS BIODEGRADÁVEIS OU COMBUSTÍVEIS PERIGOSOS (CATEGORIA 1) ESTÉREIS REJEITOS

• MINERAÇÃO EVOLUÇÃO DA GERAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS – capital ANOS 1972 A 2003

C O M P O N E N TE S P AP E L P AP E LÃ O V ID R O M AD E IR A M E T AL FE R R O S O M E T AL N Ã O FE R R O S O P LÁ S TIC O TR AP O/T E C ID O C OUR O F O LH AG E M /P O D AS B O R R AC H A AN IM AL OSSO C E R Â M IC A/E N T U L H O AL IM E N T O M ATÉ R IA O R G Â N IC A
FO N TE : S L U /P B H

P OR C E N T AG EM E M P E S O % 197 2 198 5 199 1 199 5 200 3 16,7 7 13,4 4 10,7 0 8,11 9,52 2,43 2,80 3,30 2,07 1,48 2,22 2,50 2,85 0,93 0,97 0,56 0,53 2,30 2,50 2,26 3,32 0,20 0,38 2,27 1,90 4,92 6,50 11,7 1 10,8 8 2,19 2,94 1,50 2,27 0,28 1,42 0,20 0,26 6,53 5,40 2,04 9,04 0,09 1,56 0,42 0,27 0,18 0,11 0,07 0,38 0,15 0,49 2,81 8,94 40,5 4 69,8 8 52,8 9 64,4 0 65,4 -

EVOLUÇÃO DA GERAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOSURBANOS – capital ANOS 1972 A 2003

COMPONENTES ESPUMA ISOPOR PILHA/RESÍDUOS PERIGOSOS OUTROS/PERDAS RESÍDUOS DE BANHEIRO FEZES REJEITOS INERTES ARREDONDAMENTO
FONTE: SLU/PBH

PORCENTAGEM EM PESO % 1972 1985 1991 1995 2003 0,06 0,07 0,05 0,71 1,43 0,23 4,04 7,78 4,22 4,60 0,65 0,09

DESTINAÇÃO FINAL DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NO BRASIL ANO 2000

( U N ID A D E S )

2 ,2 9 % 7 ,1 3 % 1 2 ,77 %

5 ,2 5 %

2 ,8 6 %

5 2 ,7 2 % 1 6 ,4 3 %
LEG ENDA 5 .9 9 3 63 1 .8 6 8 1 .4 5 2 810 260 596 325 ( ( ( ( 5 2 ,7 2 % 0 ,5 5 % 1 6 ,4 3 % 1 2 ,7 7 % ( 7 ,1 3 % ( 2 ,2 9 % ( 5 ,2 5 % ( 2 ,8 6 % ) ) ) ) ) ) ) ) L IX Ã O ( A C É U A B E R T O ) L IX Ã O ( E M Á R E A S A L A G A D A S ) ATERRO CO NTRO LADO A T E R R O S A N IT Á R IO A T E R R O D E R E S ÍD U O S E S P E C IA IS U S IN A DE C O M P O S T A G E M U S IN A D E R E C IC L A G E M IN C IN E R A Ç Ã O

0 ,5 5 %

O B SER VAÇ ÃO : T O T A L D E D IS T R IT O S = 8 .3 8 1 F O N T E : F u n d a ç ã o IB G E – P N S B /2 0 0 0 h ttp ://w w w .ib g e .g o v .b r

LICENCIAMENTO AMBIENTAL SOBRE DISPOSIÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS– 2005 EXEMPLO – estado de Minas Gerais
LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE ATERROS SANITÁRIOSLICENCIADOS ATÉ OUTUBRO DE 2005 = 25 (2,94%)

97%
SEM LICENCIAMENTO = 828 (97,06%)

3%

TOTAL DE MUNICÍPIOS NO ESTADO DE MINAS GERAIS = 853 MUNICÍPIOS COM LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE ATERROS SANITÁRIOS = 25 NÚMERO DE ATERROS LICENCIADOS = 16
FONTE: FEAM – OUTUBRO DE 2005

SÍNTESE DOS ASPECTOS POLUIDORES E EPIDEMIOLÓGICOS DOS LIXÕES
Poeiras Mau cheiro Gases Poluição do ar Botulismo TétanoPoluição do solo Lençol d’água subterrâneo Cursos d’água Poluição da água Poluição visual

Diretamente, atingem o homem através de poluição. LIXÕES Indiretamente, atingem o homem através de vetores

Insetos Moscas Amebíase Verminoses Viroses Gastrenterite Mosquitos Baratas

Ratos

Suínos

Aves Toxoplasmose (urubus)

Dengue Febre amarela Filariose (Elefantíase)

Giardíase Amebíase Atraiescorpiões

Peste bubônica (pulgas de rato) Cisticercose Leptospirose (urina de rato) Toxoplasmose Disenterias mordida de rato

MICRORGANISMOS NO SOLO

MICRORGANISMOS
Pólio vírus – Poli Tipo I Mycobacterium tuberculosis Leptospira interrogans Salmonella thyphi Ascaris lumbricóides Entamoeba histolytica Larvas de verme

TEMPO ESTIMADO DE SOBREVIVÊNCIA (DIAS)
20 a 170 150 a 180 15 a 43 29 a 702.000 a 2.500 (+ 7 anos) 8 a 12 25 a 40

INCONVENIENTES DOS LIXÕES

DEGRADAÇÃO AMBIENTAL POLUIÇÃO DO AR; POLUIÇÃO DO SOLO: Física, Biológica, Química, Estrutural POLUIÇÃO DAS ÁGUAS: Superficiais e Subterrâneas PROBLEMAS DE SAÚDE PÚBLICA PRESENÇA DE VETORES DE DOENÇAS: INSETOS, ROEDORES, OUTROS DOENÇAS VEICULADAS POR VETORES

INCONVENIENTES DOS LIXÕES
PROBLEMAS SOCIAIS

ESTRUTURAÇÃO...
tracking img