Caso soja 1

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1241 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de setembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
DISCIPLINA: EPS 7004 LOGÍSTICA EMPRESARIAL
CASO SOJA
( Parte I)
ROTA PARANAGUÁ

Um produtor de soja, cuja propriedade rural está localizada na Chapada dos Parecis em Mato Grosso (ver figura 1) , destina a sua produção para o mercado internacional, embarcando a sua produção especificamente para o porto de Rotterdam. Sua produção está no patamar de 150.000 ton por safra, sendo o custo deprodução de US$ 138/ton. Uma vez concluída a safra, contrata empresas de transporte rodoviário para escoar toda a sua produção até o porto de Paranaguá, que fica a uma distância de 2.500 Km de sua fazenda.(ver figura 2) Em Paranaguá, contrata silos para armazenagem do produto. Coloca o seu produto no mercado futuro de Rotterdam, utilizando se de contratos futuros como forma de “hedge”para a suaprodução. Freta três navios com capacidade de 50.000 ton cada um, o suficiente para escoar toda a sua produção. A viagem de Paranaguá até Rotterdam demora 18 dias.

No intuito de melhora o desempenho do seu negócio, o fazendeiro decidiu contratar os serviços de um consultor em Logística. Para ajudar na análise, se levantaram as seguintes considerações gerais:

• Durante a safra, os fretesrodoviários são significativamente mais baratos, em função da concorrência e da possibilidade de carga de retorno (insumos) para a próxima safra. Isto força a comercialização durante a safra. Este frete é de USD 0,03/ton (seguro incluído). Como o percurso é de 2.500 Km, o frete será de USD 75 / ton);
• O produtor não tem silos na sua propriedade, sendo necessário enviar a colheita de imediatopara o porto de embarque;
• Os fretes marítimos são mais elevados durante a safra, por causa da grande procura;
• Não se leva em conta o custo do estoque, dado o baixo valor agregado do produto;
• Estima-se que o tempo decorrido entre a colheita do produto, o carregamento dos caminhões e a viagem até Paranaguá, é de aproximadamente 1 mês;
• O custo portuário é de USD 9 / ton;• O custo do aluguel do silo em Paranaguá é de USD 0,035 / ton-dia
• Os preços do produto no mercado internacional variam em função da oferta, sendo que aumentam no período de entre safra, segundo se mostra na tabela seguinte:

| |Preço esperado da soja no Mercado Futuro em rotterdam |
|Tempo |1o Mês|2o Mês |3o Mês (2 meses após ) |4o eces (3 |5º Mês (4 |
| |(na safra) |(1 mês após) | |meses após) |meses após) |
|USD / ton |247 |248 |250 |250,5 |250,8 |

• Ospreços dos fretes marítimos variam de acordo com a tabela seguinte:

| |Frete navio Panamax – 55.000 TPB Rota Paranaguá-Rotterdam |
|Tempo |1o Mês |2o Mês |3o Mês (2 meses após ) |4o eces (3 |5º Mês (4 |
| |(na safra) |(1 mês após)| |meses após) |meses após) |
|USD / ton |9,8 |8,6 |8,3 |7,6 |7,4 |

Se você for o consultor contratado, o quê sugeriria ao seu cliente, com relação á melhor época (mês) para exportar?. (Argumente a sua proposta, se baseando na solução do trade-offcusto-beneficio mais conveniente)

(PARTE II)
ROTA PORTO VELHO-ITACOATIARA

Não satisfeito com a variante de embarcar a sua produção pelo porto de Paranaguá, o fazendeiro exige pesquisar uma outra via. O consultor, lhe sugere que a possibilidade mais viável é a saída pelo norte, via rodoviária até Porto Velho, rio Madeira até Itacoatiara e deste porto para Rotterdam. (ver figura 3)

Em...
tracking img