Case starbucks - sustentabilidade

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1539 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
1 – Overview

Este caso da Stabucks ilustra de forma sintética como a aplicação de conceitos e práticas da sustentabilidade econômica, social e ambiental impactaram e ainda impactam positivamente os negócios da empresa, auferindo-a uma vantagem competitiva singular no mercado de consumo de café premium. Isto fica evidenciado pelo aumento das receitas, margens operacionais, lucros líquidos eexpansão dos pontos de venda, além de manter a imagem e reputação da empresa como socialmente e ambientalmente responsável e sustentável, assunto o qual tem estado en vogue na última década mas pouco de concreto fora realizado nas organizações.

A indústria de café especial (ou premium) passou a sofrer um rápido crescimento a partir da década de 90, porém o conceito de especial de fato foidefinido na década seguinte, com forte orientação à qualidade do grão do café. Com o mercado altamente pulverizado, com mais de 18.000 pontos de venda de café especial, a Starbucks viu uma oportunidade de ganhos competitivos e virar referência neste mercado a partir da construção de práticas de sustentabilidade sócio-econômico-ambiental em toda a sua cadeia produtiva, desde o fazendeiro produtor de grãosde café, passando pelos moedores, torrefadores, ensacadores, até aos distribuidores.

Tais práticas se intitulam C.A.F.E. (Coffee And Farmer Equity) Practices, iniciativa feita para construir relacionamentos “win-win” entre produtores de grãos de café e suas comunidades, além de contra-atacar o excesso de oferta de grãos de café de qualidade inferior, o que pressionava os preços sell-in domercado como um todo e impactava as margens dos produtores de grãos. Além disso, o C.A.F.E. assegurava o suprimento sustentável de grãos de alta qualidade, componente essencial do core business da Starbucks.

O C.A.F.E. tem como objetivos aumentar a sustentabilidade econômica, social e ambiental da indústria de café especial; encorajar fornecedores da Starbucks a implementar tais práticas paraconseguir incentivos econômicos e preferências de compras de grãos de café; negociar contratos de longo prazo mutuamente benéficos com os produtores; construir melhores relacionamentos com os elementos da cadeia produtiva; e promover transparência e valoração econômica justa com a cadeia de suprimentos da Starbucks.

Para olhos de muitos podia parecer apenas um código de conduta ou um programa decompliance. Mas na verdade era uma forma de fazer negócios para assegurar a sustentabilidade e a equidade econômica na cadeia de suprimentos de café como um todo.

Tal conjunto de práticas entretanto, possui diversos requisitos como qualidade do grão de café e transparência econômica, para começar. Após estes dois requisitos estarem de acordo, os fornecedores são avaliados nos quesitos ambientaise sociais. A partir daí, os produtores entram em um sistema de pontos, onde a maior pontuação lhes confere status de parceiros estratégicos e preferências na venda de grãos em momentos de excesso ou escassez de safra de café.

Em função da adoção destas melhores práticas, a Starbucks consegue atrair os melhores e mais estratégicos produtores e fornecedores de café de alta qualidade. A vantagemcompetitiva que a empresa ganhou se estendeu para toda a cadeia de suprimentos. A Starbucks paga relativamente mais pela saca de café do que a concorrência no mesmo mercado. Logo, a empresa também cobra mais caro em seu produto final para seu consumidor, mas sob a bandeira da sustentabilidade, e feita na prática, lhe dá o direito em ter tal posicionamento premium de preço.

A adoção dasustentabilidade corporativa na cadeia de suprimentos da Starbucks não foi em vão; receitas crescentes são auferidas ano a ano, além de melhores margens operacionais e lucros líquidos, isso sem contar a expansão contínua de pontos de venda e novos mercados internacionais.

Saindo do universo do café premium, podemos fazer uma analogia ao mercado de varejo de moda (magazines). Se tais práticas fossem...
tracking img