Casa das rosas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 23 (5532 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
ECLETISMO NO BRASIL

O Ecletismo chegou ao Brasil da mesma maneira que o Neoclassicismo, como influência cultural direta das poéticas européias. A diferença, é que aqui não havia ainda um processo autóctone de industrialização, sendo os materiais e técnicas, em sua grande maioria, importados, assim como também eram importados os processos culturais. Podemos ainda dizer que a passagem doNeoclassicismo para o Ecletismo é um processo gradual, gerado no interior da “Academia”. Até os anos 1870, ainda podemos ver edifícios rigorosamente neoclássicos. A partir daí, o ecletismo vai aparecer, de maneira quase absoluta, até os anos 1930, deixando pouco espaço para outras manifestações como o Art Nouveau, o Neocolonial e as poéticas pré-modernas do Classicismo Tardio e do Art Déco.
Todos ostipos estilísticos são aqui representados, havendo uma predominância do Barroco francês, que se constata no centro monumental eclético da cidade do Rio de Janeiro – a Praça Marechal Floriano –, e em outros edifícios importantes como o Palácio Tiradentes e o Palácio das Laranjeiras. Além disso, todos os programas – residências, equipamentos públicos como teatros, escolas, bibliotecas, museus equartéis, edifícios comerciais e estações – foram projetados e construídos segundo os princípios ecléticos, principalmente nas grandes metrópoles, onde ainda se conseguiu preservar um grande acervo desta arquitetura.

Palácio das Laranjeiras. Rio de Janeiro. Neobarroco francês
Projeto: Armando da Silva Telles, 1909-12. Imagem <Palácio das Laranjeiras. Governo do Estado do Rio de Janeiro.Banerj /Sobreart: Rio de Janeiro, 1982>
Hoje em dia, não existem mais razões para a atitude preconceituosa do Movimento Moderno, e mesmo este já deve ser colocado em uma perspectiva histórica, juntamente com os edifícios que condenou. Se o modernismo arquitetônico nos trouxe soluções, também cometeu grandes equívocos. Cabe a nós, com a mente aberta, analisar todas as idéias, reter as que nos servem edescartar outras. Mas devemos também aprender com os erros, respeitar os testemunhos do passado, e ensejar que em nossas cidades convivam as diferenças, pois são elas que compõem o nosso acervo cultural.

Fundação Oswaldo Cruz. Arquiteto Luiz Moraes Junior. Rio de Janeiro, c. 1904. Imagem <getussp.org/blog2>
A CRÍTICA AO ECLETISMO
O Movimento Moderno foi muito crítico com relação aoEcletismo, em parte por uma atitude iconoclasta própria das vanguardas, em parte por questões ideológicas e, finalmente, por condenar o suposto superficialismo desta prática. Independente de uma avaliação da correção de seus argumentos, o fato é que a rejeição pura e simples do Ecletismo transformou-se numa posição preconceituosa, que sérios danos causou à historiografia deste movimento. Muito de seusmétodos foram perdidos e muitos edifícios destruídos, em nome de uma suposta “ausência de valor arquitetônico”, uma atitude condenável, sob o ponto de vista do relativismo histórico. A partir dos anos 1960, quando se acentua um maior apreço pelos centros históricos e monumentos, tenta-se recuperar uma crítica mais consciente e fundamentada, fugindo-se da atitude puramente opinativa, para uma outramais comprometida em termos culturais, segunda a qual uma produção não pode ser desligada do contexto que a produziu e julgada segundo critérios alheios a ela.

Palácio Monroe. Rio de Janeiro. Projeto: Mal. Francisco Marcelino de Souza Aguiar, 1904. <Imagem: www.almacarioca.com.br>
Grande parte dessas críticas eram advindas de arquitetos e artistas de orientação política sobretudo marxistaou socialista, como William Morris, Walter Gropius etc. O Ecletismo representava, para esses críticos, o mundo burguês e vitoriano, com seus valores políticos, econômicos e morais condenáveis. A hipocrisia deste mundo estaria representada na disjunção dos sistemas formais arquitetônicos, uma “arquitetura de aparências” representando uma sociedade de aparências.

Estação das Barcas. Rio de...
tracking img