Capoeira para deficientes visuais: visita ao projeto berimbau me guia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1292 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de maio de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE SALGADO DE OLIVEIRA- CAMPUS GOIÂNIA
EDUCAÇÃO FÍSICA ADAPTADA
Aluna: Janaína B. Matos

VISITA AO PROJETO BERIMBAU ME GUIA

O Projeto de “Capoeira Berimbau me guia” foi idealizado pelo professor Gabriel Socas, empresário, formado em administração. Implementado em Florianópolis desde o ano de 2008, trata-se de uma iniciativa sem fins lucrativos que oferece aos alunos comdeficiência visual aulas duas vezes por semana na Associação Catarinense de Integração dos Cegos, em Florianópolis – SC.
Foram realizadas várias visitas aos treinos e aos eventos de graduação desse grupo. A entrevista com o professor, no dia 30 de maio de 2012, foi realizada via Rede Mundial de Computadores, esta entrevista com os alunos foi feita pelo professor a meu pedido, porém eu pessoalmente jáhavia conversado com os mesmos em outra oportunidade, sem no entanto registrar as respostas.
Segundo Gabriel, “para ser um capoeirista a pessoa não necessita ter as melhores habilidades, nem um corpo ideal, com todos os seus sentidos no mais perfeito estado, o fator mais importante, que será o quesito para sua superação, é a paixão pela arte.” Gabriel é voluntário na instituição. Em parceria com aprofessora de Educação Física da ACIC, conta que não foi difícil começar o trabalho, pois a capoeira era algo que encantava os alunos e alguns já haviam praticado a modalidade antes de se tornarem cegos. Gabriel também fala que inicialmente sua idéia era publicar um livro com suas experiências, porém não chegou a fazê-lo.

DO LOCAL
A ACIC é uma instituição fundada em 18/6/77, de caráterprivado, sem fins lucrativos, de âmbito estadual que mantém-se através de convênios com instituições públicas e/ou privadas, doações, promoções comunitárias e a contribuição de seus associados. 
O terreno abrange 300 mil m² e o projeto arquitetônico prevê 6000m² de área construída, sendo que atualmente o prédio já tem mais de 2000m². Nesse espaço estão presentes muitas salas de aula,espaço para atividades diversas, tanto ao ar livre quanto em halls. Todos os caminhos têm um guia no chão e os principais acessos tem corre mãos. Todas as portas tem uma descrição em Braille e vários pontos de informação espalhados pelo centro. Nas salas são desenvolvidos programas e habilitação/reabilitação funcional com Atendimento em Orientação e Mobilidade, Atendimento nas Atividades da Vida Diáriae aulas de Braille, da Escrita Cursiva, Informática (Digitação, Programa Dosvox, Introdução ao Windows), Ensino do Sorobã, Musicoterapia, Artesanato. As atividades físicas são realizadas na quadra ou em espaço aberto, o aluno pode ele participar ainda de atividades desportivas, como o goalball, futsal, natação, atletismo e xadrez, que são desenvolvidas com o apoio da Universidade Federal deSanta Catarina.


A Capoeira é realizada no hall de um dos prédios, em sala fechada e em espaço aberto nos dias de verão. Não costuma-se usar colchonete , algumas vezes usa um tapete de EVA, no entanto o professor opta por lugar com muito espaço e longe de pilastras.
DOS MATERIAIS
Para as aulas, o professor costuma usar um aparelho de som com cantigas de capoeira, em baixo volume, ou oberimbau com caxixi. Nos eventos de visita ou batizados/graduação, por 2 vezes o vi utilizando 3 berimbaus e um pandeiro).
Segundo o professor, os materiais são dele próprios, confeccionados pelos alunos do mesmo grupo de capoeira (Gunca Nagô) e encontravam-se em bom estado de conservação. Há aulas em que o professor diz trabalhar apenas musicalidade e trás outros instrumentos para experimentação eaprendizado do grupo. Em uma das visitas que fiz, percebi que alguns alunos haviam aprendido a manejá-los, mas ainda como iniciantes.
DA AULA – 50 minutos
Alunos: 5 alunos presentes.
-fases e atividades:
A aula que elegi para relatar se deu da seguinte forma:
1º momento – aquecimento com ginga individual ao som do berimbau, quando este parava de tocar os alunos deveriam abaixar na esquiva...
tracking img