Capacidade explicativa das principais abordagens na análise de políticas públicas e as suas implicações para a realidade político-administrativa do brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (712 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de setembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Iniciamos este trabalho com as palavras da autora Ângela Maria Siman (2005) onde nos diz que “não é raro encontrar, entre os estudiosos de políticas públicas, uma discussão acerca da capacidadeexplicativa dos modelos e conceitos criados para analisá-las”. E, assim, para não sermos uma exceção à regra, também iremos discutir sinteticamente as principais abordagens, ou modelos, na análise daspolíticas públicas e sua capacidade explicativa.
Assim, temos primeiramente o Modelo Institucional é voltado para descrever as instituições governamentais específicas, sem fazer uma abordagem sistemáticasobre o impacto das características institucionais sobre os resultados da política.
No Modelo da Teoria do grupo a política é vista como um processo de obtenção de equilíbrio entre os interesses dediferentes grupos, ou seja, indivíduos com interesses comuns se associam para impor formal ou informalmente suas demandas sobre o governo, e assim, o grupo passa a ser um intermediário entre osindivíduos e o governo. Com isso, a Política Pública, para essa teoria, passa a ser o equilíbrio alcançado nessa luta. Percebemos que esse modelo se associa muito com o modelo de política, onde se encontramos sindicatos de classes, as associações, onde estas, representam os anseios e as demandas da classe a qual representam.
Já a Teoria ou Modelo Elitista vê a política como resultado de preferências evalores de elites governamentais; portanto, a política pública não é vista como reflexo de demandas dos governados. Os que aderem a está teoria partem da premissa de que as pessoas em geral sãoapáticas e mal informadas sobre política pública, e assim são as elites os agentes que moldam a opinião pública, e não ao contrário. As demandas não surgem das massas, mas das elites governamentais, e asinstituições democráticas, eleições e partidos políticos – têm apenas um valor simbólico, visto que, elas ajudam a ligar os governados ao sistema político. É um modelo fadado ao insucesso, pois o...
tracking img