Capacidade de carga em solos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1468 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CAPACIDADE DE CARGA DE SOLOS

Definição : “ É a carga que aplicada ao solo mediante o carregamento de uma placa, causa a ruptura do mesmo . Alcançada aquela pressão, a ruptura caracteriza-se por recalques incessantes a pressão constante “ .


Tensão admissível : σadm = ; n = coef. seg. n = 2 a n = 3 )

Recalques : menores do que os admissíveis ( que possam serabsorvidos pela estrutura e não comprometam sua aparência e utilização ) .

Exs : ( apud Sowers, 1962 e Bjerrum, 1963 )

- Recalque total...........estruturas de concreto........... ≤ 50 a 100 mm
- Recalque diferencial .. “ ..... 0,0025 a 0,0091 L
- Distorção angular ......danos á estrutura..........................1/150
- Tombamento visível em ed. altos e rígidos.....................1/250

Controle.......acompanhar a velocidade dos recalques .

Cálculo de recalques :

- Fórmulas da teoria da elasticidade
- Método da trajetória de tensões
- Métodos empíricos baseados em PC ou ensaios de penetração .

RUPTURA LOCAL E RUPTURA GERAL
PROVA DE CARGA





















Ponto A – Corresponde à ruptura local, quando um primeiroponto ( o mais carregado ) plastifica . Os pontos ao redor ainda agüentam o carregamento . Há uma redistribuição de cargas e os outros pontos também vão plastificando . Quando a zona de plastificação se estende além da zona carregada, o recalque aumenta com o acréscimo de tensão ( ponto B ) .










Em areias compactas ou argilas muito sobre-adensadas, a ruptura local ocorresimultâneamente á ruptura geral .

FORMAS PARA DETERMINAR A TENSÃO ADMISSÍVEL

1 – Fórmulas teóricas
2 – Provas de carga
3 – Experiência acumulada
4 – Tabelas empíricas – NBR 6122
5 – Correlações ( SPT, CPT, etc )
Exs :

- Teixeira, 1966 : σadm = 1/10 . NSPT3/2 ( para argilas )

- Em SP p/ 6 ≤ NSPT ≤ 20 : σadm = NSPT / 5 ( ≤ 4 kgf/cm2 )

- Mello, 1975 : σadm = NSPT1/2 – 1 (areias argilosas e argilas arenosas )

- ABNT , NBR 6122/96 : σadm = 3/20 . NSPT

A capacidade de carga de solos depende :

1 – Tipo e estado do solo ( compacidade e consistência )

2 – Dimensão e forma da placa

3 – Profundidade da fundação








FÓRMULAS TEÓRICAS
1) MÉTODO DIDÁTICO DE TERZAGHI

1 . 1 – Placa circular apoiada á superfície – Solo coesivo ( Ø = 0 )Experimentação de modelos com medição de deformações no solo abaixo.
Terzaghi observou que as maiores deformações se davam até uma profundidade ≈ 2R e que o cilindro ABCD expandia-se lateralmente . Ocorrem deformações apreciáveis no anel de solo confinante ao cilindro, até uma distância ≈ 3R do eixo da placa , ocorrendo empolamento . A conclusão de Terzaghi foi : “ Asdeformações laterais de um cubo de solo no centro do cilindro eram o dobro das deformações no centro do anel “ . Admitindo variação linear entre tensões e deformações, vem :

HIPÓTESE FUNDAMENTAL : σ3 = 2 . σ´1

A representação gráfica do estado de tensões é :
















Sendo γ o peso específico natural da argila , vem :σ´3 = γ . R

Sendo σ1 > σ3 e σ´1 > σ´3 as tensões principais no instante da ruptura .


Do gráfico tiramos :

σ1 = σ3 + 2 c ( c = raio ) e σ´1 = σ´3 + 2 c

Vem :

σR = σ1 - γ . R = σ3 + 2 c - γ . R = 2 . σ´1 + 2 c - γ . R =

= 2 (σ´3 + 2 c ) + 2.c - γ . R =

= 2 (γ . R + 2.c ) + 2.c - γ . R =

= 2 . γ . R + 4.c + 2.c -γ . R =

= 6.c + γ . R
Assim :

σR = 6.c ( o termo γ.R é desprezível face a 6.c )


1 . 2 – Placa circular apoiada á superfície – Solo arenoso ( c = 0 )


A representação gráfica do estado de tensões é :



















Do gráfico tiramos :

σ1 = OC + R σ3 = OC – R e sen Ø =




Fica então :

σ1 = OC + OC . sen Ø...
tracking img